Polí­tica

Foto: Divulgação

A Procuradoria Regional Eleitoral expediu recomendação para que órgãos e entidades públicas do Tocantins tenham rigor ao conceder afastamentos para que servidores possam concorrer a cargos eletivos nas próximas eleições.

Considerando o elevado número de servidores públicos que se candidatam a mandados eletivos, seu necessário afastamento e o reflexo negativo dessas licenças na manutenção dos serviços, o procurador regional eleitoral, George Lodder, recomendou que ao examinar requerimentos de afastamento para atividade política, órgãos façam um exame rigoroso quanto à legalidade e ao interesse público em questão.

As instituições devem ainda exigir do servidor público que deseja se afastar a comprovação posterior de que foi escolhido em convenção partidária e de que requereu registro de sua candidatura à Justiça Eleitoral.

Para a recomendação foi considerado também o alto índice de servidores que se candidatam apenas para gozar licença remunerada, sem de fato cumprirem com atividades de campanha.