Economia

Foto: Divulgação

Depois de três altas consecutivas, o índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) apresentou uma leve queda em novembro, de 0,3 pontos, resultando 84,4 pontos. A informação é Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em pesquisa realizada em parceria com a Fecomércio Tocantins.

A pesquisa ICF apresenta uma avaliação que os consumidores fazem sobre aspectos importantes da condição de vida de sua família, tais como a sua capacidade de consumo, atual e de curto prazo, nível de renda doméstico, segurança no emprego e qualidade de consumo, presente e futuro.

Sobre a visão atual dos empregos, a maior parte das famílias participantes da pesquisa apontou que se sente mais segura (67,5%) e 47,6% dos entrevistados acredita que a renda atual é superior à do ano passado. Estes foram os únicos índices com resultados acima da zona de insatisfação, com 152,4 pontos e 138,4 pontos respectivamente.

“A maioria dos itens pesquisados apresenta informações que sugerem uma perspectiva mais pessimista dos consumidores, tanto em relação ao consumo quanto ao mercado de trabalho”, analisou o presidente do Sistema Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni.

O consumo dos bens duráveis continua em baixa, de acordo com a pesquisa. Quase 60% dos consumidores disseram que este é um mau momento para adquirir televisores e eletrodomésticos, por exemplo.

Quase 50% dos consumidores não acreditam ter melhoria no âmbito profissional nos próximos meses e 75,1% dizem que o acesso ao crédito está mais difícil. O componente que trata do consumo atual mostrou que 71,1% dos entrevistados estão comprando menos e 51,9% avaliaram devem ir às compras menos vezes pelos próximos meses, se comparado ao ano passado.