Polí­tica

Foto: Divulgação

A Prefeitura de Itacajá, região nordeste do Tocantins, será comandada interinamente por Wesley Clayton Barros, presidente da Câmara Municipal, eleito neste último domingo, 1º de janeiro. O fato ocorre porque na eleição de outubro passado o candidato mais votado para prefeito, Manoel Pinheiro (PSDB), teve sua candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral, por enquadramento na Lei da Ficha Limpa, e ficou impedido de tomar posse. A solenidade ocorreu na manhã de ontem, no Salão Municipal de Itacajá.

A segunda colada no pleito, Maria Aparecida (PSD), também não foi diplomada, e de acordo com a Justiça Eleitoral, em casos de vacância dos cargos de prefeito e vice, assume interinamente o presidente do Legislativo Municipal, até a realização de eleições suplementares, que devem ser convocadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no retorno do recesso forense.

Ao entregar o cargo de prefeita de Itacajá, Maria Aparecida fez um breve balanço de sua gestão. “Realizamos muitas obras na cidade, melhoramos a saúde e pagamos em dia o funcionalismo. Deixo a prefeitura com as contas em dia, mais de R$ 700 mil em caixa para o custeio dos programas e dezesseis contratos de obras em andamento, que totalizam quase R$ 3 milhões”.

Foram empossados como vereadores de Itacajá, Cleoman Correia Costa, Osório Pinheiro Filho, Carlos Alberto Costa, Rinaldo Castro, Betânia Guedes, Luiz Lopes dos Santos, Adão Coelho da Cruz, Clodoaldo Pereira e Wesley Clayton Barros, eleito presidente do Parlamento e empossado prefeito interino. “Assumo com a confiança dos companheiros e procurarei honrar com muito trabalho e dedicação à nossa cidade, pelo período que for necessário”, disse Clayton Barros.