Educação

Foto: Divulgação Educadores acreditam que as mudanças proporcionarão novo dinamismo na educação do Tocantins Educadores acreditam que as mudanças proporcionarão novo dinamismo na educação do Tocantins

Foi com a confiança que estava no caminho certo, que o diretor regional de Miracema, Antônio Guedes Ribeiro, reuniu gestores e coordenadores pedagógicos de 20 escolas e três Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) para compartilhar as propostas pedagógicas elaboradas pela Secretaria da Educação, Juventude e Esportes.

A reunião foi realizada nessa quinta-feira, 12, e tratou de assuntos como Guia de Orientações Pedagógicas, gestão compartilhada, transporte escolar, calendário para o ano letivo de 2017, e a implantação do ensino médio em regime de tempo integral. O diretor Antônio Guedes ressaltou o resultado das discussões. “Foi um momento em que os educadores sanaram as dúvidas e compreenderam que a educação é um processo que sempre está em mudanças para alcançar qualidade”, comentou.

Para o diretor da Escola Estadual Regina Siqueira Campos, localizada em Lizarda, Deusdete Messias Cirilo, as novas propostas curriculares trouxeram mais ânimo e motivação para os servidores que atuam na educação. “Estamos vivendo este momento de mudanças fundamentais, que acredito que vão contribuir para uma revolução no nosso ensino. Voltarei  para a escola com mais segurança e conteúdos, os quais iremos compartilhar com todos os servidores e nos preparar para realizar um trabalho diferenciado”, frisou.

A professora Vera Lúcia Lopes de Souza, diretora da Escola Estadual Onesina Bandeira, localizada na Vila Canaã, em Miracema, falou sobre a estrutura curricular. “A inserção do inglês na primeira fase do ensino fundamental será muito positiva. Isso já acontece nas escolas particulares. Percebemos que há uma reprovação alta no 6º ano, em inglês, justamente porque os alunos não têm o conhecimento básico. Ter a redação na grade de ensino é imprescindível, é necessário que os nossos estudantes aprendam a gostar da leitura, não leiam apenas por obrigação. Na nossa escola sempre incentivamos a prática da leitura e da escrita”, explicou.

Como resultado, os educadores optaram por ter mais reuniões para estudos das propostas pedagógicas e que a equipe da Diretoria Regional de Educação visite as escolas para auxiliar os professores nessas mudanças.