Meio Ambiente

Foto: Divulgação

Durante o mês de maio, uma equipe de acadêmicos voluntários da Fundação UnirG, Universidade Federal do Tocantins (UFT) e de servidores da Prefeitura de Gurupi coletam informações para uma pesquisa de campo envolvendo moradores do município.  A ação faz parte do projeto Bacias Hidrográficas dos Rios Santo Antônio e Santa Tereza e Bacias Urbanizadas de Gurupi.

A ação visa realizar um levantamento da realidade socioeconômica das comunidades circunvizinhas das Áreas de Preservação Ambiental (APA’s) e Áreas de Preservação Permanente (APP’s). Serão pesquisados os moradores dos setores nas proximidades das nascentes dos Córregos Mutuca, Dois Irmãos, Água Franca e Pouso do Meio.

A pesquisa é coordenada pelas professoras da UnirG, Drª Nelita Bessa e Ma. Alessandra Duarte, e a engenheira agrônoma Asafe Gomes e o engenheiro ambiental Kleverson Vieira, da Diretoria Municipal de Meio Ambiente.

Será realizado um levantamento de percepção da comunidade gurupiense, que reside nas proximidades dos cursos d’água, a cerca de vários fatores que envolvem a conservação dos recursos hídricos.Pretende-se ainda saber se os moradores estão predispostos a contribuir de alguma forma com as políticas de conservação ambiental e como eles enxergam o papel de governo e empresas locais. 

“Esperamos traçar um cenário sobre o perfil socioeconômico desses moradores, o que pensam e acreditam ser possível realizar, quais soluções apontam para viabilização e políticas públicas existentes, ou não, e que podem ajudar na conservação dos recursos hídricos, especialmente, na abrangência do município”, explicou a professora Nelita.

Uma das abordagens será relacionada aos conflitos sobre os usos da água e, por outro lado, também sobre os serviços ambientais hidrológicos, como uma política pública de governo e que envolve a sociedade, embasado por experiências positivas de alguns municípios do País. “Neste caso, são políticas públicas que objetivam incentivar a conservação dos recursos naturais da localidade, podendo ocorrer com incentivos fiscais, deduções ou outros tipos de premiações”, acrescentou Bessa.

Segundo a professora Alessandra Duarte, durante a pesquisa, estima-se aplicar cerca de 400 questionários. “Também estaremos distribuindo folhetos informativos sobre as áreas de preservação. Para garantir mais segurança aos entrevistados a equipe estará devidamente uniformizada com camisetas e bonés e identificada por crachás do Projeto”, afirmou.

O levantamento faz parte do projeto do Comitê de Bacias Hidrográficas dos Rios Santo Antônio e Santa Tereza e Bacias Urbanizadas de Gurupi, por meio do convênio entre a Fundação e Centro Universitário UnirG e Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh). Envolve ainda os parceiros UFT, IFTO e Prefeitura de Gurupi.

Setores que serão pesquisados

- Córrego Mutuca (Residencial Daniela, Setores Waldir Lins e Alto da Boa Vista);

- Córrego Dois Irmãos (Jardim dos Buritis, Jardim Tropical I e II, Vila Alagoana, Jardim. Pauliceia, Jardim São Lucas e Trevo Oeste I e II);

- Córrego Água Franca (Residencial Campo Belo, Parque das Acácias e Campus I UnirG);

- Córrego Pouso do Meio (Jardim Tocantins I e II, Setor Canaã e Setor Cajueiro).