Polí­tica

Foto: Divulgação

Após recolher as assinaturas obrigatórias para criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará a aplicação de recursos do Instituto de Previdência Social do município de Palmas (Previpalmas), o vereador professor Júnior Geo (PROS) cobrou, nesta quarta-feira, 31, celeridade na aprovação da CPI do Previpalmas. “As assinaturas já foram recolhidas, mas a criação dessa CPI ainda não foi colocada em pauta. Peço que a presidência desta Casa de Leis dê prioridade para esse assunto, já que fomos eleitos vereadores para fiscalizar a aplicação de recursos públicos”, destacou Geo. O vereador relembrou que os “mais de 500 milhões que se encontram no Instituto são dos servidores, e não da prefeitura”.

Na mesma sessão, Junior Geo cobrou o Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) para o sistema de ar condicionado da Câmara Municipal de Palmas. “Não temos esse plano em nosso prédio para garantir a qualidade do ambiente e a saúde das pessoas. É válido para sistemas de climatização com capacidade acima de 60.000 BTU e seu não for cumprido pode render em uma multa de até R$ 200 mil”, explicou o vereador.

Júnior Geo também explicou que a maioria dos prédios públicos do município não possuem o PMOC por falta de fiscalização. “A vigilância não tem condições de fiscalizar as empresas e prédios públicos por falta veículo e falta combustível. É uma situação de ausência de fiscalização por ausência de gestão”, esclareceu.

Assinaram o pedido de instalação da CPI, além do vereador Junior Geo, os seguintes vereadores: Lúcio Campelo (PR), Milton Néris (PP), Leo Barbosa (SD), Ivory de Lira (PPL), Filipe Martins (PSC), Rogério Freitas (PMDB).