Saúde

Foto: Valdo França Eudes comemora a mudança de vida e tem consultas de rotina no HGP Eudes comemora a mudança de vida e tem consultas de rotina no HGP

Mulheres que sofrem de hipertrofia mamária (gigantismo mamário) podem contar com o Hospital Geral de Palmas (HGP), que realiza a cirurgia de redução de mamas com intuito de proporcionar qualidade de vida e melhorar a autoestima das pacientes. A hipertrofia mamária  é o desenvolvimento excessivo do volume das mamas.

Os procedimentos cirúrgicos são realizados pelos cirurgiões plásticos do HGP, Giovanni Augustus Morais e Silva e Pedro Nader. A idade das pacientes que são diagnosticadas variam de 14 a  80 anos.

O cirurgião plástico Giovanni Augustus explica que antes da cirurgia a paciente precisa realizar uma consulta médica. “A paciente passa por consulta, exame físico,  pré-operatório,  avaliação psicológica e avaliação cardiológica. A mama que retiramos durante o procedimento cirúrgico,  passa por uma biópsia histopatológica com intuito de averiguar se há outras doenças inflamatórias ou possível tumor, entre outros”, explicou.

Segundo o especialista, as principais queixas das pacientes que sofrem de hipertrofia mamária são as dores na coluna e a dificuldade de encontrar roupas que se adequem ao corpo, o que acaba provocando a baixa da autoestima. “A cirurgia nas mamas dura em média 4 horas e a paciente permanece internada durante o período de 24 horas, ou seja, no dia seguinte a paciente já recebe alta hospitalar. O pós- operatório funciona da seguinte forma: a paciente retorna uma vez por semana durante um mês. Logo depois, haverá um acompanhamento de 30,60, 90 dias, semestralmente e anualmente”, informou o especialista.

Quem foi beneficiada com a cirurgia  foi a professora moradora de Natividade, Eudes Ferreira de França, que não sente mais dores e ainda recuperou a autoestima. “Fiz o procedimento há 72 dias. Antes da cirurgia era uma tortura, eu sentia muitas dores na coluna. Hoje sinto uma sensação maravilhosa de ter alcançado meu objetivo”, declarou.

A cabeleireira de Palmas, Maria Natalina Pereira, passou pelo procedimento recentemente. “Minha experiência foi muito boa no HGP,  não tenho do que reclamar e fui bem tratada pelos  excelentes profissionais. Antes da cirurgia, eu sentia muitas dores no lado direito da coluna, principalmente  quando eu executava atividades no trabalho. Após  o procedimento cirúrgico,  eu senti um alívio muito grande!”, disse, animada.

Para o diretor geral do HGP, Daniel Hiramatsu, é uma satisfação para toda equipe do hospital oferecer este serviço. “O hospital conta com profissionais qualificados e comprometidos que realizam esse tipo de cirurgia. É visível a melhoria da qualidade de vida destas mulheres", destacou.                            

Como  ter acesso ao atendimento?

A supervisora do ambulatório de especialidades do HGP, Flaviane Vieira de Araújo, orienta que as pacientes precisam passar primeiramente pela Unidade Básica de Saúde. “Para que estas pacientes possam ter acesso ao serviço, primeiramente precisam ser avaliadas pelo médico da Unidade Básica de seu município, onde serão realizados exames físicos e consultas. Com a  confirmação do distúrbio é  agendada a consulta pelo município de origem do paciente, via Regulação Estadual para posterior agendamento no HGP”, informou.