Saúde

Foto: Divulgação

Com o intuito de prevenir doenças sexualmente transmissíveis, como gonorreia, Aids e sífilis, a Secretaria de Estado da Saúde realiza distribuição de preservativos para todas as cidades que tem programação de praia. São mais de 500 mil preservativos disponíveis para que os municípios interessados façam a retirada.

De acordo com a Gerência de Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmissíveis e Não Transmissíveis, a medida preventiva é realizada há vários anos e tem sido fundamental para controlar o número de casos de DS´s. “Temos tido um aumento no número de casos, mas consideramos que isto esteja atribuído também ao volume de pessoas que estão tendo acesso ao diagnóstico através dos testes rápidos ofertados pelo SUS. Não se pode esquecer que em qualquer época do ano o uso da camisinha é fundamental”, considerou a técnica da área, Iarllene Amorim Dourado.

De acordo com dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan/TO), atualmente existem no Estado 2.598 pacientes em tratamento envolvendo pacientes do Tocantins e outros estados. Só no Estado, no período de 2012 a 2016 foram notificados 741 casos de Aids e 831 de HIV.

Para ter acesso aos insumos, as secretarias municipais da saúde podem fazer a solicitação diretamente à Área Técnica da DST/Aids pelo Disk Aids 0800 645 0112, número também disponível para a população tirar as dúvidas sobre  DSTs.

Saiba mais sobre DSTs

As doenças sexualmente transmissíveis podem surgir quando se tem relações sexuais sem camisinha, seja através do contato íntimo vaginal, anal ou oral. Porém, as chances de contágio aumentam quando se tem vários parceiros ao mesmo tempo, podendo afetar homens e mulheres de todas as idades.

Na maioria das vezes, estas infecções causam sintomas que afetam os órgãos genitais, como dor, vermelhidão, pequenas feridas, corrimento, inchaço, dificuldade para urinar ou dor durante o contato íntimo. Para identificar a doença correta, é necessário ir ao ginecologista ou ao urologista para fazer exames específicos.

Para o tratamento, normalmente, o médico indica o uso de antibióticos ou antifúngicos em forma de comprimido ou pomadas, pois geralmente as DSTs têm cura. Porém, a Aids e a herpes não têm cura e por isso, é importante evitar a contaminação usando camisinha em todas as relações.