Campo

Foto: Carlos Carreira

O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), está executando, nesta semana, a instalação de um Biodigestor no Colégio Agropecuário de Natividade. A ação é fruto do convênio firmado entre a Seagro e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, de n° 806634/2014, com objetivo de incentivar a utilização de biodigestores no Estado. Este é o segundo a ser instalado, o primeiro foi na Escola Agrícola de Porto Nacional, em maio deste ano.

Os técnicos da Seagro estão no local, acompanhando as obras de instalação, que foram iniciadas com escolha e limpeza da área, medição e demarcação, escavação e posterior alocação e enchimento do biodigestor; seguidas da escavação, da montagem da lagoa de biofertilizante e da montagem das conexões. A expectativa é de concluir neste sábado, 12.

De acordo com o gerente de Agroenergia e Florestas da Seagro, Carlos Manuel Carvalho Carreira, a partir do momento em que iniciar a introdução dos dejetos no biodigestor, o prazo estimado para a geração de biogás é de cerca de 60 dias. “A partir daí, com a devida alimentação do mesmo, a geração é constante”, frisou.

Convênio

O convênio visa, dentre suas metas, realizar missões técnicas a casos de sucesso, seminários e dias de campo no intuito de capacitar técnicos, estudantes e produtores, levando cada vez mais pessoas a conhecer e aplicar esta tecnologia.

Local de instalação

Carlos Carreira explica que a escolha do local se deve por ser uma importante e tradicional instituição estadual de ensino técnico nas áreas de agropecuária e zootecnia. “Atualmente, são 218 alunos, e está, há 33 anos, contribuindo para a profissionalização dos jovens tocantinenses”, reforçou.

Na escola, o biodigestor será interligado diretamente à criação de suínos, evitando que os dejetos sejam despejados na natureza, eliminando o risco de contaminação do solo e da água, além de erradicar a emissão de gás metano, principal causadora das mudanças climáticas.

O gerente reforça ainda que o biodigestor não oferece somente melhorias ambientais. “O biodigestor irá gerar o biogás, que será aproveitado na cozinha do colégio, pois todos os alunos recebem refeições no local, como também será utilizado para os equipamentos de limpeza pós abate de frangos e de suínos”. Carlos Carreira enumera ainda que, sobretudo, o benefício será com a utilização do líquido residual final, que é um excelente biofertilizante e deverá ser utilizado nos pastos e plantios da própria escola, e ainda ser revendido o excedente, devido sua elevada qualidade.

“Futuramente, caso seja adquirido um motor gerador de energia alimentado a biogás, ainda poderá ser produzida energia elétrica para o colégio, reduzindo ainda mais os seus custos operacionais”, completou Carlos Carreira.

Futuro

O biodigestor será uma referência na região sudeste para demonstração tanto para alunos como para técnicos e produtores de suínos, aves, bovinos e caprinos.

A Seagro acompanhará e dará as orientações necessárias para os procedimentos iniciais de operação do equipamento. E já está previsto, para o mês de novembro, a realização de um Dia de Campo no local com o Biodigestor em pleno funcionamento. “Será o primeiro de muitos encontros que serão realizados para difundir esta tecnologia”, garantiu Carlos Carreira.