Educação

Foto: Divulgação

Insatisfação e indignação foram as palavras de ordem no que diz respeito ao sentimento dos trabalhadores da Educação diante do tratamento da atual gestão municipal de Palmas com a categoria. Reunidos em assembleia na noite desta última quarta-feira, 16, no Ginásio Ayrton Senna, em Taquaralto, a categoria mostrou-se firme na luta pelos direitos da educação, porém, esgotada com a desvalorização da categoria.

Incentivando os educadores, a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins (Sintet) realizou um debate junto aos trabalhadores que, assumiram a fala para sugerir novas estratégias e demonstrar o descontentamento com a gestão do prefeito Carlos Amastha (PSB).

Durante a assembleia, os profissionais da educação votaram pela continuidade do indicativo de greve, que foi votado em assembleia no dia 17 de junho. Uma nova assembleia foi marcada para o dia 28 de agosto, às 18h30, no Parque Cesamar.

Desvalorização

Palmas destacou-se este ano nas áreas de saúde e educação. Em educação, a cidade ficou entre os cinco municípios com melhor performance entre as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste com índice de 0,557. Em 2005, ocupava a 65ª posição (0,349). Palmas com mais de 270 mil habitantes, também faz parte do ranking dos 50 primeiros colocados em gestão da educação, alcançando a 28ª colocação, à frente de outras capitais com mais de 700 mil habitantes como, por exemplo, Campo Grande (40º) e Teresina (42º).

"Em contrapartida com estes números significativos, temos uma categoria desvalorizada pelo não cumprimento dos seus direitos, como data-base, retroativos, progressões e PCCR, além de outras contrariedades. Desde 2015 a categoria vem se destacando por meio de atos públicos e ações de cobranças de diversas formas, o que demonstra a determinação e união da classe educadora do município", informa o Sintet em nota.  

O Sintet informa que, diante do atual cenário desfavorável, a categoria segue cumprindo com seus deveres e determinada a batalhar pelo o que é de direito e, desta forma, as estratégias de cobrança serão intensificadas nos próximos dias, segundo o sindicato. 

Por: Redação

Tags: Educação, Indicativo de Greve, Sintet