Palmas

Foto: Divulgação

Representantes de moradores do Jardim Taquari estiveram na Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE/TO) para denunciar a falta de água em parte da quadra T-33. Segundo eles, o problema já perdura mais de 120 dias com oscilações graves, pois o fornecimento de água é interrompido durante todo o dia, tendo água apenas no período de meia-noite até pouco antes das 5 horas da manhã.

Conforme a reclamação dos moradores ao Nuamac Palmas – Núcleo Aplicado das Minorias e Ações Coletivas de Palmas, o problema da falta de água atinge também outras quadras na região com mais de 500 famílias, contudo, o problema mais grave é registrado em parte da quadra T-33. “Nas outras quadras durante o dia ainda tem o fluxo fraco de fornecimento de água, mas aqui na quadra a gente pode deixar a torneira de água aberta o dia todo que não sai nem um pingo”, comenta Gutemberg Vieira, morador da T-33.

A área em que está ocorrendo o problema é devidamente regularizada e, conforme os moradores, após a regularização do fornecimento de água na área denominada “Capadócia – Pinheirinho Vive”, também localizada na T-33, o problema se tornou constante. Apesar de o problema perdurar mais de 4 meses, Gutemberg Vieira conta que ainda paga em média R$ 80,00 por mês de conta de água. “A minha mulher levanta 2 horas da manhã para lavar roupa, banhos só de madrugada, temos que perder horas de sono para reservar água para fazer comida e consumir durante o dia, enquanto pagamos caro por uma coisa que não estamos utilizando. É humilhante demais”, indigna-se.

Defensoria

Diante disso, a Defensoria Pública do Tocantins, por intermédio do Nuamac Palmas, oficiou a BRK Ambiental/Saneatins a fim de obter mais informações acerca dos motivos que estão prejudicando o fornecimento de água na área e quais providências estão sendo tomada para solucionar o problema.

O ofício é assinado pela defensora pública Letícia Amorim, coordenadora do Nuamac Palmas, foi protocolado na terça-feira, 29, e estipula o prazo de dez dias para respostas. “A falta de água atinge diretamente a dignidade humana, prejudicando necessidades básicas como alimentação, higienização e água potável para o consumo”, comenta a Defensora Pública.

Autorização

A autorização às empresas Saneatins e Energisa realizarem ligações de água, esgoto, energia elétrica e iluminação pública da área intitulada Capadócia, localizada na Quadra T-33 Jardim Taquari, foi emitida pelo Governo do Estado e Prefeitura de Palmas ainda em junho de 2016, após mais de dois anos de espera. Situada no extremo Sul da Capital, a Capadócia conta com diversas casas populares inacabadas, frutos de obras do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, em parceria com o governo estadual. No local, habitam cerca de 400 pessoas, dentre crianças, jovens, adultos e idosos em situação de carência de recursos básicos.

Por: Redação

Tags: Falta de Água, Jardim Taquari, T-33