Meio Ambiente

Foto: Divulgação Previsão do tempo ao Tocantins no telejornal Bom Dia Brasil de hoje Previsão do tempo ao Tocantins no telejornal Bom Dia Brasil de hoje
  • Previsão do tempo segundo o Inmet até quinta-feira, 25, no Tocantins
  • Municípios que atingiram maior temperatura dia 22
  • Municípios que atingiram maior temperatura dia 21

A população tocantinense é uma das que mais sofre com calor excessivo e consequente baixa umidade relativa do ar no Brasil. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), esta semana não será nada agradável em relação à temperatura. A previsão máxima de hoje ao Estado, segundo dados do Inmet, é de 41°C, amanhã de 42°C, dia 25 de 41°C e na quinta-feira, de 41°C. A umidade mínima varia de 10 a 15% na maior parte desta semana. 

Os últimos dias foram de bastante desconforto para a população. É recomendada a ingestão de pelo menos dois litros de água por dia, o uso de umidificadores de ar, bacias com água ou toalhas molhadas em ambientes da casa, refeições leves e cuidados especiais com crianças e idosos.

Das maiores temperaturas registradas no último sábado, 21, no País, Paranã/TO, foi campeã - 42°C. Em seguida, ficou a capital Palmas, com 41,9°C, Santa Rosa do Tocantins, 41,5°C e Porto Nacional, em sexto lugar, com registro de 40,9°C. No domingo, 22, Paranã bateu novamente recorde - com 41,5°C. Palmas veio em seguida com 41,3°C e Santa Rosa do Tocantins, em terceiro, com 40,9°C. Saiba mais, aqui

Nesta segunda-feira, a previsão máxima é de 41°C em Paranã e em Santa Rosa do Tocantins. Na capital, a máxima pode alcançar 40°C.

O meteorologista José Luiz Cabral informa que os dados aos próximos dias configuram previsão, o que não significa certeza. "Não quer dizer que vai (acontecer). Precisa ficar claro! O fato é que no sábado as temperaturas chegaram a 42°C". Segundo o profissional, a climatologia para o trimestre de outubro, novembro e dezembro apontam para chuvas abaixo do normal e a preocupação maior deve ser com a baixa umidade. "Enquanto as chuvas não vierem para ficar, quero chamar atenção para a os baixos índices de umidade relativa do ar, que ontem chegou a 11% nos municípios de Paranã e Peixe", afirmou. 

Ainda de acordo com Cabral, as temperaturas estão altas desde 2016 e a tendência é de aumento. "E fica mais em evidência pela ausência das chuvas. As temperaturas têm se mantido acima da média, em torno de 2 a 2,5 graus", disse. José Cabral informou que um sistema de baixa pressão na região central do Brasil tem inibido a entrada de umidade, impedindo chuvas. 

"Neste momento julgo mais importante tomar cuidado com os baixos índices de umidade relativa do ar", reforçou Cabral. A baixa umidade do ar pode causar diversas complicações para a saúde, entre elas, comprometimento das vias respiratórias, desidratação e ressecamento da pele, dos pés e dos lábios. 

Tabela 

O estudante de engenharia Eduardo Ries, acompanha e tabela, seguindo dados do Inmet, a temperatura de Palmas desde 2015 e diz que nunca registrou números tão altos. "No último sábado dia 21/10, Palmas bateu seu recorde de calor histórico. O aeroporto registrou 42°C às 15 horas (18 UTC) e a estação do INMET no centro chegou a marcar 41,9°C às 14h (17 UTC). Em ambos os casos foi a maior temperatura já registrada nos equipamentos", disse. Confira tabela, clicando aqui

Outro detalhe observado pelo estudante, que se diz amante desta área de conhecimento, foi a mínima de ontem, 22, na Capital, de 30,8°C. "A maior dos registros justamente por causa do recorde na tarde anterior", disse. 

Por: Redação

Tags: Eduardo Ries, José Luiz Cabral, Temperatura