Saúde

Foto: Divulgação

Em alusão ao Dia Estadual de Luta contra a Hanseníase, comemorado nessa sexta-feira, 27, a Secretaria de Estado da Saúde está orientando os municípios tocantinenses a intensificarem a busca ativa por casos novos, além de recomendar a avaliação dos contatos de portadores já diagnosticados com a doença.

A campanha tem por objetivo a ampliação do diagnóstico precoce e a quebra do ciclo de transmissão da doença. Os municípios também foram orientados a realizar atividades educativas por meio das Equipes Saúde da Família, ampliando o alcance das informações como sinal, sintomas, diagnóstico e tratamento para a população, iniciando na semana de 23 a 27 de Outubro de 2017 estendendo-se para o mês de novembro de 2017.

A Secretaria de Estado de Saúde apoiará o Projeto “Abordagens Inovadoras para intensificar esforços para um Brasil livre da hanseníase” que acontecerá no período de 23 a 28 de outubro e será conduzido por um núcleo de especialistas em três áreas sob a coordenação geral do Ministério da Saúde do Brasil. O alicerce para atingir esses objetivos será a atualização em serviço dos profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBS) nos municípios selecionados pela endemicidade (Araguaína, Porto Nacional e Gurupi) e finalizará com mutirão em busca de novos casos no dia 28/10.

Ainda em comemoração ao Dia Estadual, o Estado estará promovendo no mês de novembro diversas atividades de capacitação dos profissionais da atenção básica dos municípios e atualização das Referencias Estaduais em hanseníase. Serão três capacitações em ações de controle da Hanseníase para profissionais médicos e enfermeiros das 8 regiões de saúde do Tocantins, uma capacitação em Prevenção de Incapacidades para fisioterapeutas e uma atualização das Referencias Estaduais e regionais. Totalizando 190 vagas ofertadas em todo Estado.

E, para finalizar, na primeira semana de dezembro, será realizado treinamento in loco de 40 profissionais identificados como pontos focais no Estado com mutirão de busca de casos em um município silencioso (que não possui casos registrados, apesar da hiperendemicidade do Estado).

Cirurgia

A hanseníase tem cura, mas algumas vezes deixa seqüelas, que também podem ser tratadas ou prevenidas, uma forma de tratamento das seqüelas é a cirurgia de neurolíse, realiza no Hospital Geral de Palmas, conforme explicou o médico ortopedista do HGP, Ronaldo Rego.

“A bactéria da hanseníase tem afinidade pelo nervo, causando falta de sensibilidade por exemplo. Quando o nervo aumenta de volume o paciente tem a sensação de dor, a neurolise descomprime o nervo, trazendo alívio ao paciente”, pontuou.

Ainda segundo o médico, além da dor, a hanseníase pode gerar ao longo do tempo alterações funcionais nos membros, falta de sensibilidade, a mão em garra, pé caído, atrofia muscular e diminuição da força.

“Quando o problema é diagnosticado no início, e se faz a cirurgia o prognostico é muito bom, o paciente diminui a quantidade de medicamento para tentar controlar a dor, previne o desenvolvimento das seqüelas permanentes e consegue ter uma funcionabilidade mais rápida”.

Feliz com o resultado da cirurgia, Natalino Sousa Araújo, está otimista quanto a recuperação e alívio das dores que sentia.

“Meu problema era no pé esquerdo, sentia muita dor, queimação e câimbras, depois da cirurgia as dores cessaram, e tenho esperança de que tudo vai ficar melhor” contou. Logo após descobrir a hanseníase ele procurou ajuda médica e passou por todo o tratamento gratuitamente oferecido pelo SUS. “Sempre fui orientando que quanto mais cedo procurasse ajuda, melhores seriam os resultados”.

Dados

No ano de 2016, o estado do Tocantins teve um total de 1585 casos diagnosticados no Estado, sendo 1327 casos novos e 258 com modo de entrada outros reingressos e recidiva.

Os municípios que mais apresentaram casos foram: Palmas, Araguaína, Gurupi, Paraíso, São Valério da Natividade, Porto Nacional, Colinas, Guaraí, Santa Fé do Araguaia e Augustinópolis.

No ano de 2017, o Tocantins apresenta um total de 1066 casos diagnosticados, sendo 864 casos novos. Os municípios que apresentam maior número de caos até o momento são: Palmas, Araguaína, Santa Fé do Araguaia, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Gurupi, Colinas, Recursolândia, Almas e Marianópolis.