Economia

Foto: Divulgação

A empresa Valor Logística Integrada (VLI), que integra terminais, ferrovias e portos, já movimentou mais de cinco milhões de toneladas de grãos no Corredor Centro-Norte. As cargas de milho, soja e farelo chegam até as operações maranhenses do Tegram e do Terminal Portuário de São Luís antes de ganharem o mundo. Esse volume corresponde às atividades de janeiro a outubro deste ano e já supera em mais de 30% o que foi registrado em todo ano de 2015.

Toda a infraestrutura da VLI no Corredor Centro-Norte do País (terminais integradores em Porto Nacional e Palmeirante, ambos no Tocantins; e operações portuárias, no Maranhão) juntamente com a Ferrovia Norte-Sul somam um investimento de R$ 1,7 bilhão e têm como meta suportar o crescimento agrícola da região. “A VLI investiu, acredita no potencial dessa região e está pronta para atender a demanda. Um sinal de que estamos na direção certa é o que o volume de grãos movimentado este ano já é superior aos dados dos anos anteriores”, gerente-geral de Portos Nordeste, Leonardo Paiva.

Potencial e fomento

O número é bom, mas o futuro é ainda mais promissor. O contexto local é de fomento de novas cargas, parcerias e crescimento. A empresa aposta no desenvolvimento de novas demandas agrícolas nas regiões de Matopiba, Nordeste do Mato Grosso, Sul do Pará e Norte de Goiás e na consolidação de outra rota de exportação para os produtos dos país. “Com a infraestrutura que oferecemos temos condições de equilibrar o escoamento da produção do país entre os portos do Norte e do Sul/Sudeste. Estima-se que cerca de 80% da produção do Centro-Norte do Brasil é escoado pelos portos do Sul e Sudeste. Por isso, estamos fomentando a criação dessa alternativa eficiente e integrada pensando em melhorar a logística dos produtores”, explica Leonardo.

Um exemplo desse trabalho de prospecção de cargas é a parceria da VLI com a Brinave, consórcio que opera balsas no rio Araguaia entre os estados de Pará e Tocantins. A rota inaugurada em abril é o caminho mais novo para o escoamento da produção de soja e milho do leste mato-grossense e sudeste paraense até o porto do Itaqui, via Ferrovia Norte-Sul. A infraestrutura atual pode receber seis caminhões do tipo bi-trens e oito do rodo-trens.

Números

Volume 2017 (até outubro): 5.5 milhões de toneladas

Volume 2015 (recorde anterior): 4.2 milhões de toneladas

Crescimento de 31% entre 2017 e 2015.

Sobre a VLI

A VLI engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES).