Polí­tica

Foto: Divulgação

No intuito de adequar as normas estabelecidas na fiscalização ao Código de Postura de Gurupi e outras leis vigentes, os representantes de bares, músicos, equipes de sons e órgãos competentes, reuniram na tarde desta última quarta-feira, 13, no auditório da Câmara Municipal de Gurupi, para tratar da possível regularização das Serestas no município, no que tangue aos limites de eventos, horários, decibéis e adequação ao Código de Postura do Município.

Após ouvir as demandas dos seresteiros e donos de bares, foi organizado uma reunião proposta pelo vereador Eduardo Fortes (PSDB), para discutir sobre as questões levantadas.

Estiveram presentes, tenente coronel do 4° Batalhão da Polícia Militar, Flávio Santos Brito, Coordenador de Fiscalização e Postura de Gurupi, Jeová Pereira de Abreu, 3° Batalhão da Companhia do Bombeiro Militar de Gurupi, Major Euclides, Superintendente Municipal de Trânsito, Leon Barcellos, Secretaria Municipal de Cultura, Zenaide Dias Costa, Antônio Carlos, representantes dos donos dos bares e seresteiros e vereadores, André Caixeta (PSB) e Ivanilson Marinho (PMDB). O Ministério Público foi convidado, mais não compareceu.

A discussão levou acerca de um entendimento entre partes envolvidas, para que aja bom senso entre os idealizadores de eventos e com a perturbação do sossego alheio. A reunião visou destacar todos os acontecimentos que geram em torno de um evento, para que possa usufruir os direitos com moderações.

“A partir do momento que temos dois direitos em conflitos, inicia-se um litígio em que a Polícia Militar precisa se posicionar. Cabe o bom senso em respeitar os direitos e deveres entre as partes envolvidas. E que todos os empreendedores de eventos tiram seu alvará de licença para tal exercício. Reconhecemos que os eventos precisam funcionar para gerar renda na cidade, e as pessoas dependem trabalhar e nisso todos possam se adequar com disciplina”, explicou tenente coronel do 4° Batalhão da Polícia Militar, Flávio Santos Brito.

Outro fator discutido, foram os limites de eventos por datas, com respaldo mediante autorização por meio da Prefeitura em legalizar os eventos até mesmo de ter o poder de fiscalizar. Atualmente, de acordo com os órgãos competentes, não vem sendo cumprido por alguns, e neste descumprimento se torna uma atividade que gera perturbação a população de Gurupi.

O representante dos donos de bares e organizador de serestas, Antônio Carlos, frisou a importância para assegurar a categoria, a solução seria a criação da Associação.

“A ideia da criação da Associação serve para ajudar a representar mais nossa atividade. A partir de hoje, vamos está convidando todos os músicos, cantores, donos de estabelecimentos comerciais da cidade para debater e formalizar a criação de uma comissão, no intuito de criar a Associação”, desabafou Antônio Carlos.

Para o Eduardo Fortes, a reunião entre as partes envolvidas foi satisfatória, e que pretende ajudar no que for possível para que a categoria possa adequar com as normas.

“A reunião foi para que todos possam entrar em consenso, sei que todos querem trabalhar honestamente e quer realmente a mudança e as melhorias para continuar gerando renda. Portanto, estamos juntos para solicitar tais questionamentos”, finalizou Fortes.