Polí­cia

Foto: Divulgação SSP/TO

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia Especializada na Repressão a Narcóticos (DENARC) deflagrou no final da tarde desta terça-feira, 19, a "Operação Elétron”, a qual resultou na apreensão de aproximadamente 11 kg de drogas e na prisão de quatro homens suspeitos por tráfico de drogas, em Palmas/TO. 

Conforme o delegado Emerson Francisco de Moura, há cerca de três meses as equipes da Denarc estavam monitorando a quadrilha e, por volta das 17h de ontem, policiais civis abordaram Alexandre D. C., de 37 anos - apontado como o responsável por abastecer pontos de venda de drogas -, quando o mesmo conduzia um veículo Toyota Corola e havia acabado de deixar diversas porções de entorpecente em “Bocas de Fumo”, do Setor Aureny II. 

Após efetuar algumas buscas no interior do veículo, os agentes localizaram e apreenderam seis tabletes de maconha, pesando aproximadamente, 6 kg da droga, bem como 1 kg de crack. Desta maneira, o homem foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

Dando continuidade a operação “Elétron”, policiais civis foram até outras duas residências, localizadas no Jardim Aureny II e IV, onde apreenderam várias porções de maconha, grande quantidade de crack, além de 1 kg de cocaína pura e insumos para embalar a droga, três balanças de precisão, uma espingarda de pressão, adaptada para o calibre 22, bem como um televisor, um notebook, uma motosserra e medidores de energia que estavam de posse de um dos suspeitos, o qual é funcionário de uma companhia de energia elétrica.

Nos locais, os policiais civis efetuaram a prisão em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico de Edmilson C. M., de 43 anos de idade, Joarles C. P. , 32 anos e Talison M. dos S., vulgo “Mineiro”, 22 anos

Diante dos fatos, todos os presos foram encaminhados à sede da Denarc, onde foram autuados pela prática dos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, além de corrupção de menores, uma vez que, no momento da abordagem policial, um adolescente de 15 anos encontrava-se junto com o bando. 

As investigações serão intensificadas, pois existe a suspeita de que os medidores de energia elétrica eram repassados, por um dos homens presos, a pessoas que tinham a intenção de fazer ligações clandestinas, os chamados “gatos”, na rede elétrica.

Após os procedimentos legais cabíveis, Alexandre, Joarles, Edmilson e Talison foram recolhidos à carceragem da Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP), onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.