Economia

As exportações brasileiras de couro cresceram 24% de janeiro até agosto deste ano, em relação ao mesmo período de 2006. O faturamento chegou a US$ 1,47 bilhão, contra US$ 1,12 bilhão até agosto do ano passado.

Segundo o Centro de Indústrias de Curtumes do Brasil (Cicb), São Paulo lidera as vendas ao exterior. No período, a participação do estado no volume de exportações do país foi de 35%, atingindo R$ 514,5 milhões – um aumento de 30% em relação aos primeiros oito meses de 2006.

O Rio Grande do Sul, com participação de 24,12% e aumento de 9% nas vendas, é o segundo colocado, seguido por Mato Grosso do Sul, com 6,51% e crescimento de 38%, e pelo Paraná, com participação de 6,37% no mercado e alta de 49% até agosto. Outros estados que se destacam na exportação de couro são Ceará (5,97% e 6% de crescimento), Bahia (4,8% e expansão de 29%) e Goiás (4,64% e elevação de 8%).

De acordo com o Cicb, os principais destinos do couro brasileiro são Itália, China e Hong Kong, mas também contribuíram para o resultado do ano até agosto as vendas para Estados Unidos, Vietnã, Indonésia, Coréia do Sul e Taiwan. Só os países asiáticos são responsáveis por 44% das exportações brasileiras.

A entidade avalia que a superioridade das exportações de couro em relação ao setor calçadista e por corresponderem à metade dos embarques de carne bovina, atesta uma "mudança do perfil da cadeia produtiva", cujo maior volume, cerca de 60%, está "direcionado para os setores automotivo e de estofamento".

A outra fatia da produção, cerca de 40%, está direcionada aos setores de artefatos, vestuário e calçados.

O Brasil acrescenta o Cicb, é um dos principais produtores mundiais de couro, com processamento de cerca de 45 milhões de unidades por ano e é o maior exportador, com embarques anuais de cerca 35 milhões de peças.

Agência Brasil

Por: Redação

Tags: Economia