Economia

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) recuou no mês de setembro. A taxa ficou em 0,18%, abaixo dos 0,47% registrado em agosto. É o que mostra levantamento divulgado hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com base no rendimento de famílias que recebem entre um e 40 salários mínimos.

Segundo o IBGE, a principal queda de preços ocorreu no grupo Alimentação e Bebidas, que tem peso de 21% no IPCA. A variação de preços do grupo foi de 0,44%, contra a alta de 1,33% de agosto. O item Leite e derivados teve papel fundamental para o recuo da taxa de inflação em setembro com queda de 1,2%, depois da alta de 5,77% do mês anterior.

Outros alimentos também contribuíram para a redução da inflação. O preço da carne saiu de um alta de 2,98% em agosto para 0,62% em setembro e o feijão carioca caiu de 5,11% para 4,09%.

O aumento de preços foi exercido pelo arroz (1,58% em agosto para 3,54% em setembro), o óleo de soja ( 2,09% em agosto para 4,72% em setembro), vestuário ( de –0,03% para 0,45%) com a entrada de novas coleções, e habitação, que passou de 0,05% em agosto para 0,54% em setembro.

Ainda de acordo com a pesquisa do IBGE, no acumulado do ano, o IPCA foi maior (2,99%) do que o registrado em igual período de 2006 (2%). Mas no acumulado dos últimos 12 meses, os percentuais ficam próximos, sendo 4,15% contra os 4,18 % obtidos nos 12 meses anteriores.

Já o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) também foi inferior, sendo 0,25% contra 0,59% de agosto. O índice se refere à famílias com rendimentos de um a seis salários mínimos e registrou 3,39% no acumulado do ano, bem acima dos 1,32 obtido em igual período de 2006. O acumulado dos últimos 12 meses ficou em 4,92%, um pouco acima do resultado relativo aos 12 meses anteriores (4,82%).

Por: Redação

Tags: Economia, Soja