Economia

As suspeitas de fraude nos sinistros atingiram 7,6% no ano passado, de acordo com informações da Diretoria de Proteção ao Seguro da Fenaseg (Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados e de Capitalização). Além disso, a fraude foi comprovada em 16% dos sinistros suspeitos.

E como o preço das apólices depende da taxa de sinistralidade, isto é, dos recursos gastos com o pagamento de indenizações, a ocorrência de pagamentos indevidos faz com que ele aumente.

Fraudes

Ainda segundo a Diretoria, a fraude se define como sendo qualquer ato intencional destinado ao recebimento de indenização ou benefício a que de outro modo não se teria direito, praticado na contratação ou no curso do evento previsto no contrato, e mesmo após sua ocorrência.

Em reais, os sinistros com suspeita de fraude somaram R$ 1,13 bilhão em 2006, dentro do montante geral de R$ 15 bilhões. Já os que tiveram a fraude comprovada chegaram a R$ 180 milhões.

Entre os ramos de seguros, os de transportes, automóveis e vida foram os que apresentaram os maiores percentuais de suspeitas de fraude, 14,7%, 9,7% e 8,1%, respectivamente.

Combate

A quantificação da fraude é uma importante iniciativa do mercado de seguros do Brasil, já que traz benefícios para o direcionamento e acompanhamento dos esforços contra as fraudes e para a conscientização da sociedade e de diversos setores governamentais.

Além disso, credita-se importância fundamental às ações de prevenção para que o negócio do seguro tenha uma evolução saudável e para que os segurados tenham adequadas ofertas para a cobertura de seus riscos.

InfoMoney

Por: Redação

Tags: Economia