Palmas

A segunda etapa da Força-Tarefa de Combate à Dengue da Prefeitura de Palmas foi concluída, com vistoria em 4.054 casas em 19 quadras na Região Central de Palmas e registro de 75 focos. O índice ainda é considerado alto e confirma o Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti (LIRAa), que registrou uma média de 1,5 %, enquanto o considerado normal para esta época do ano é menor que 1,0 %.

Este índice apresentado significa que dos 7.668 imóveis visitados, em 115 foi encontrado o mosquito Aedes aegypti, ou seja, um número alto de focos em residências. Dados considerados graves pelo Ministério da Saúde, devido à alta capacidade de reprodução desse mosquito e também ao fato de estar iniciando o período chuvoso, onde os agravos de dengue aumentam substancialmente.

Nesta segunda etapa da Força- Tarefa foram retirados 1.317 sacos de lixos. A terceira etapa que começou na tarde de hoje, percorrerá mais 10 quadras. De acordo com área técnica da Secretaria Municipal de Saúde o resultado da ação foi avaliado positivamente, por estar sendo possível identificar e eliminar criadouros do mosquito da dengue. Entretanto, os profissionais alertam que o registro de casos ainda foi alto e bastante significativo, daí a importância da participação da comunidade.

A partir do resultado da segunda etapa da Força-Tarefa, os moradores da 310, 312, 412 Sul e 304 e 402 Norte merecem parabéns porque estão mantendo as quadras limpas, o que contribuiu para não haver registro de focos de dengue. Nas outras quadras foram identificados criadouros, principalmente no Jardim Santo Amaro, e na 504, 404 e Norte, onde foram encontrados nove focos em cada uma.

Conscientização

Nesta segunda etapa, foram detectados 649 imóveis fechados e 10 casos de recusa de entrada dos agentes às residências. Este número de recusas foi menor do que o registrado na primeira semana (31 recusas). A nova situação já pode ser reflexo do trabalho de conscientização que a Prefeitura de Palmas, tem desenvolvido através da Secretaria Municipal de Saúde. Estas situações de recusas são apresentadas à assessoria jurídica da Secretaria Municipal de Saúde, para as providências cabíveis.

Karynne Katiuzia

Ascop

Por: Redação

Tags: Palmas