Ciência & Tecnologia

1. Não inclua dados pessoais entre os termos de buscas

Resista à tentação narcisista e não digite seu próprio nome na caixa de busca. Dados como endereço, número do cartão de crédito, identidade ou outras informações pessoais podem deixar um rastro que levará diretamente à sua porta.

2. Não use o sistema de buscas do seu provedor

O seu provedor sabe quem você é no mundo físico, portanto pode associar mais facilmente suas buscas à sua identidade.

3. Não faça o login no seu buscador ou nas ferramentas relacionadas a ele

Quando você faz uma pesquisa enquanto está autenticado na conta do provedor de busca ou em qualquer um dos outros serviços oferecidos por ele - e-mail ou serviço de mensagem instantânea, por exemplo -, suas buscas podem ser diretamente relacionadas à sua conta pessoal.

4. Bloqueie os cookies do seu sistema de busca

Se você seguiu os passos acima, seu histórico de buscas não terá relação com suas informações pessoais. Mesmo assim, suas buscas ainda podem ser agrupadas com base no seu endereço IP e nos cookies gerados pelo buscador na sua máquina.

Os cookies são pequenos blocos de informações que um site armazena na sua máquina para manter registro das suas visitas.

Do ponto de vista da privacidade, o ideal seria bloquear todos os cookies, mas alguns serviços não funcionam sem eles.

O ideal, nestes casos, é permitir cookies que durem apenas por uma sessão, enquanto o seu navegador está aberto. Para habilitar cookies por sessão no Mozilla Firefox, siga os passos a seguir:

1. No menu "Ferramentas", selecione "Opções".

2. Clique em "Privacidade".

3. No item "Cookies", marque "Sites podem definir cookies".

4. Escolha no menu ao lado a opção Preservar cookies até "Sair do Firefox".

5. Clique em "Exceções" e inclua na lista a URL de todos os sites de buscas que você utiliza.

No Internet Explorer:

1. No menu "Ferramentas", selecione "Opções de Internet".

2. Clique em "Privacidade" e depois em "Avançado".

3. Selecione "Ignorar manipulação automática de cookies".

4. Selecionar bloquear "Cookies primaries" e "Cookies secundários".

5. Selecionar "Sempre permitir cookies por seção".

5. Diversifique seus endereço IP

Quando você se conecta à internet, seu provedor te designa um endereço IP (por exemplo, 72.5.169.162). Os provedores de buscas conseguem enxergar e registrar esse endereço, que pode ser diretamente ligado a você, a partir de informações do provedor.

Se o seu provedor oferece IPs dinâmicos (ou seja, que mudam de número a cada nova conexão), para que você altere o número IP, basta desligar e ligar o modem de tempos em tempos.

6. Use sites de proxies e softwares de anonimato

Para esconder seu IP na hora de se comunicar com sites da web, você pode usar outros computadores como "dublês" (proxies). Você envia a solicitação ao proxy e o proxy a envia ao site, portanto o site não fica sabendo qual é o seu endereço IP.

Há também os softwares que criptografam os dados e direcionam o seu tráfego de internet para uma série de computadores aleatórios, como o Tor, fornecido pela própria EFF.

IDG Now

Por: Redação

Tags: Mundo Digital