Geral

O presidente do cavalo de aço, como é conhecido a Sociedade Imperatriz de Desportos, Léo Cunha disse em matéria publicada pelo imirante.com que se fosse possível disputaria o estadual do Tocantins. “Se eu conseguisse hoje fazer o meu time fazer parte do estado do Tocantins seria mais favorável a isso” desabafou.

Cunha está decepcionado com o campeonato organizado pela Federação Maranhense de Futebol. O motivo é que o Imperatriz disputou a final do campeonato maranhense com o MAC – Maranhão Atlético Clube, foi derrotado, mas não levou o vice campeonato, que ficou com o Bacabal por força de um item do regulamento que lhe garantiu o vice por ter encerrado o campeonato com um ponto à frente do Imperatriz (41 a 40).

O pomo da discórdia gira em torno daquele que terá o direito de disputar a Copa do Brasil. É que pelo regulamento da CBF – Confederação Brasileira de Futebol são classificados o campeão e o vice de cada estado para a competição. Neste caso, o cavalo de aço está fora.

O dirigente disse que vai buscar na Justiça o direito adquirido pelo clube dentro de campo.

“Estou recorrendo, vou entrar na justiça e não vou considerar esse tipo de atitude. Vou buscar onde for possível os meus direitos. Vou entrar por aqui, pela CBF, onde eu tiver buscar os direitos do time do Imperatriz. Pode acreditar que pelo Imperatriz isso não vai ficar em branco” afirmou.

Léo Cunha ainda adiantou que tentará uma liminar para evitar a realização da partida contra o Sport marcada para o mês de fevereiro.

Da redação com informações imirante.com

Por: Redação

Tags: Futebol Tocantinense