Geral

Foto: Elza Fiuza/ABr Vacina disponível em todos os postos de saúde Vacina disponível em todos os postos de saúde

Depois dos casos relatados de morte de macacos em Goiás e Distrito Federal e de duas mortes de humanos com suspeita de febre amarela, o Tocantins está em estado de alerta. Mato Grosso também entrou em alerta com um caso suspeito. Uma mulher foi internada em Barra do Garças com suspeita da doença. Segundo informações publicadas ontem na Folha Online, de 1992 a 2006 foram registrados 22 casos de febre amarela em Mato Grosso, ocorrendo 13 mortes.

No Tocantins, o governo do Estado por meio da Sesau - Secretaria Estadual da Saúde também intensifica a vacinação. O Estado por fazer parte da Amazônia Legal é considerado área endêmica e foi o segundo com mais cidades com registros de macacos mortos por suspeitas da doença em 2007, segundo o Ministério da Saúde.

Ocorreram mortes de macacos (epizootias) nos municípios de Santa Rosa, Silvanópolis, Porto Alegre do Tocantins e Conceição do Tocantins. Na época, mês de agosto, foram encaminhados agentes da vigilância epidemeológica a campo para investigar e retirar sangue dos macacos. As amostras conseguidas foram encaminhadas para laboratório e foi confirmado que eles realmente estavam com febre amarela. Naquela ocasião houve um alerta o que levou a uma grande procura pela vacina.

Diante das atuais ocorrências nos estados vizinhos a Secretaria da Saúde irá se reunir com outros órgãos do governo para traçar estratégias de contenção da doença na fronteira com o estado de Goiás. A intenção segundo Shirley Cruz, assessora de comunicação da Sesau é fazer de imediato uma barreira. Shirley ressalta que a cobertura vacinal no estado é de 100%, todos os postos de saúde têm a disponibilidade da vacina, mas é importante “reforçar a importância das pessoas procurarem os postos de saúde para serem imunizados”.

O ideal é que a vacina seja aplicada com pelo menos dez dias de antecedência, período necessário para a imunização contra o vírus. A Sesau, por meio da Coordenação de Imunização, informa que no estado está em alerta desde agosto de 2007 quando ocorreram as mortes dos macacos e já foram aplicadas um total de 106.537 doses da vacina.

Doença

A Febre Amarela é uma doença febril aguda de curta duração, causada por um vírus que é transmitido por um mosquito. Ela apresenta formas epidemiológicas distintas: Febre amarela Silvestre e Urbana. Na Febre Amarela Silvestre, o mosquito transmissor é o Haemagogus que vive em matas e vegetações à beira dos rios. Na Febre Amarela Urbana o mosquito transmissor é o mesmo que transmite o vírus da dengue o Aedes aegypti. O vírus da Febre Amarela é muito agressivo, se multiplica por todo o organismo e lesa órgãos importantes, principalmente fígado e rins, podendo levar à morte em menos de uma semana.

Os principais locais de risco são as regiões de matas e rios onde há presença natural do vírus, hospedeiros e mosquitos. O macaco é o principal hospedeiro do vírus. Caso encontre animais mortos ou doentes, avisar imediatamente à Secretaria Estadual da Saúde através do 0800 646 3227.

Os sintomas mais comuns da doença são: febre alta e calafrios, mal-estar, dores no corpo, pele e olhos amarelados, sangramentos, vômitos cor de “borra de café” e diminuição da urina.

Umberto Salvador Coelho