Campo

Foto: Divulgação

Com o objetivo de apresentar o projeto ‘Hortas Circulares’, o Ruraltins - Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins, representado por seu gerente de olericultura, Valdivino Fraga, participa nesta sexta-feira, 15, do Fórum da Mesoregião do Bico do Papagaio, em Imperatriz (MA), com a presença de representantes dos municípios dos estados do Tocantins, Maranhão e Pará.

O projeto é desenvolvido pelo Ruraltins, em parceria com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social e Consad – Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. O objetivo é capacitar produtores rurais em produção e aproveitamento de hortifrutigranjeiros, para a produção de alimentos, melhorando a saúde das famílias e viabilizando a comercialização do excedente, de acordo com o gerente.

O ‘Hortas Circulares’, cuja proposta é implantar hortas em 15 municípios do Bico do Papagaio, será apresentado para aprovação do fórum e encaminhado para a aprovação do MIN – Ministério da Integração. Caso aprovado, o projeto irá beneficiar cerca de 400 famílias carentes que moram nas regiões urbanas do Norte do Tocantins. A previsão é implantar as hortas num prazo de 12 meses, segundo Fraga.

Ainda de acordo com o gerente, mais 81 projetos para a implantação de hortas circulares, com recursos advindos do Banco Mundial, via Seplan – Secretaria do Estado do Planejamento, foram apresentados e já estão em fase de aprovação. Estes pretendem beneficiar comunidades quilombolas, assentados da reforma agrária e associações de produtores das regiões Sudeste e Nordeste do Estado, além do Jalapão e Bico do Papagaio.

Os recursos para implantação das hortas ultrapassam R$ 2,9 milhões e a previsão para conclusão do projeto é de dois anos. As hortas serão baseadas no sistema agroecológico e beneficiarão cerca de 2.600 famílias.

Hortas Circulares

O projeto é um modelo inovador de irrigação que distribui água uniformemente para diferentes plantações criações. A irrigação é distribuída em forma de círculos concêntricos, com várias culturas integradas, possuindo um custo inferior à irrigação tradicional. Sua irrigação se dá preferencialmente em localidades com poucos recursos hídricos.

Com o sistema circular as famílias podem plantar hortaliças, plantas medicinais, frutas e diversas plantas alimentares e criar aves e peixes, ocupando um espaço pequeno. O último círculo é destinado ao plantio de espécies que contribuem para a proteção contra o vento e onde podem ser criados bovinos de leite ou caprinos.

Fonte: Secom

Por: redação

Tags: Horta Circular, campo