Ciência & Tecnologia

A venda de computadores deve aumentar em 2008. De acordo com o analista sênior da IDC, Reinaldo Sakis, o custo dos aparelhos deve ser menor neste ano, o que fará com que o número de vendas supere as 10,7 milhões de unidades registradas em 2007.

A redução de preços, segundo Sakis, acontecerá porque neste ano novas marcas deverão entrar no mercado, e a maior competição entre os fabricantes deve amortecer os custos ao consumidor.

O analista afirma ainda que o boom na venda de notebooks visto em 2007 também deve se repetir. "No ano passado, a oferta dos portáteis se expandiu, tendo um maior número de empresas oferecendo estes equipamentos. Além disso, os planos de financiamento foram muito mais atrativos para o consumidor, que agora pode se valer dos preços mais baixos e do pagamento em até 24 vezes".

Preço e pirataria

O levantamento mostra ainda que, mesmo com a chamada MP do Bem - medida provisória que desonerou em 9,25% o PIS e a Cofins de computadores até R$ 4 mil e que contribui para o barateamento dos computadores - a venda de produtos piratas continua alta.

Do total de computadores vendidos, 46,4% eram do chamado mercado cinza. "A fiscalização está intensa nas divisas mais passíveis de contrabandistas, com a Polícia Federal fortemente ativa. O problema, porém, é que o Brasil possui uma fronteira seca enorme, sem nenhuma fiscalização".

Vendas

As vendas de 10,7 milhões de unidades de PCs no Brasil ao longo de 2007, entre desktops e notebooks, representam um crescimento de 38% sobre as vendas de 2006. O consumo por desktops mantém a preferência nacional, com 9,1 milhões de equipamentos vendidos no ano passado, um aumento de 28% sobre o resultado de 2006.

Segundo Reinaldo Sakis, "2007 foi um ano muito forte em vendas de desktops, marcado pela consolidação dos modelos com monitores LCD e a procura por design mais arrojado e melhor performance. Houve ainda a oferta de pacotes promocionais com operadoras de telefonia para incluir banda larga, o que ajudou a ativar as vendas".

De acordo com o analista, o crescimento apresentado no ano passado revela que estamos avançando rumo à tendência mundial, que segue com vendas na base de 70% de desktops e 30% de notebooks. No Brasil, as vendas de portáteis já estão na escala de 15%. Este número impressiona mais, se o compararmos aos percentuais apresentados em 2006, de 8%, e de 2005, de apenas 4%.

Fonte: InfoMoney

Por: redação

Tags: Mundo Digital, Notebooks