Cultura

Foto: Adilvan Nogueira

Uma equipe do CNFCP - Centro Nacional do Folclore e Cultura Popular, do Rio de Janeiro, está em Palmas, onde na tarde desta terça-feira, 1 de abril, visita a Comunidade do Mumbuca, no Jalapão. O objetivo da viagem é realizar uma documentação etnográfica e fotográfica da cultura do capim dourado na região. A CNFCP é uma instituição integrante do IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A equipe é formada pela pesquisadora Carla Belas e pelo fotógrafo Francisco Costa.

Segundo Carla Belas, esse trabalho de pesquisa é a primeira etapa para a realização de uma exposição do capim dourado no CNFCP, que acontecerá de 15 de julho a 15 de agosto. “A partir do material coletado será produzido um catálogo e a montagem museolográfica da exposição, por profissionais em museologia”, explica.

Os trabalhos da equipe do CNFCP, que tem o apoio da Fundação Cultural do Tocantins e auxilio da socióloga Eliane Castro de Souza, da Diretoria de Patrimônio Cultural, encerram no sábado, 5. De acordo com Belas, o objetivo é fazer uma pesquisa bem detalhada sobre a cultura do capim dourado na região, buscando, através de entrevistas, informações da origem e de como é feito o artesanato na região. “Além de exposto, o artesanato em capim dourado também estará disponível à venda, onde além da presença dos próprios artesãos, será agregado valor as peças, com informações sobre a sua origem e como são confeccionadas” ressalta Carla Belas.

Centro

O Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular está instalado em quatro prédios - três integram o conjunto arquitetônico do Palácio do Catete, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Com suas atividades, o Centro busca acompanhar em nível nacional as constantes transformações na área de folclore e cultura popular. São desenvolvidos e executados programas e projetos de estudo, pesquisa, documentação e difusão de manifestações dos saberes e fazeres de nosso povo. Essas atividades resultaram em um acervo museológico de 14 mil objetos, 130 mil documentos bibliográficos e cerca de 70 mil documentos audiovisuais.

Fonte: Secom

Por: redação

Tags: cultura