Economia

Os desembolsos efetuados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a região Norte tiveram forte aquecimento nos últimos 12 meses, informou o chefe do Departamento Regional Nordeste do banco, Paulo Ferraz Guimarães. De março do ano passado até fevereiro, a liberação de recursos para a região subiu 137%. Para o Nordeste, os desembolsos aumentaram 24%, para o Centro-Oeste 84% e para o Sul 32%.

Segundo Guimarães, esse aquecimento pode ser atribuído ao aquecimento econômico do país, que teria como conseqüência elevação da atividade produtiva nas regiões Nordeste e Norte superior à média nacional. Além disso, o BNDES tem procurado traçar estratégias, em articulação com os governos estaduais e empresários locais, para impulsionar o desenvolvimento regional. “Isso, evidentemente, estimula o acesso a crédito e a busca por financiamento”, disse.

O dirigente disse ainda que os aumentos de desembolsos para o Norte e o Nordeste estão relacionados à demanda por infra-estrutura e energia. Guimarães lembrou que a região Norte tem forte presença do setor de mineração e destacou o papel da Companhia Vale do Rio Doce (em Serra dos Carajás, no Pará) no aquecimento da economia local. “Isso faz com que se demande tanto projetos na área da mineração, como na própria área de infra-estrutura, que tem de ser reforçada, para receber esses grandes projetos. A região Norte teve um desempenho realmente extraordinário nesses últimos 12 meses”, enfatizou.

Para o Norte do país, foram desembolsados nos últimos 12 meses (março 2007 a fevereiro deste ano) R$ 3,796 bilhões. As principais liberações foram para os projetos da Vale/Carajás (R$ 257 milhões), no setor de mineração e da Vale/Ferrovia Norte-Sul (R$ 665 milhões), no setor de transporte terrestre. No setor de energia elétrica, os principais desembolsos ocorreram para os projetos da usina hidrelétrica São Salvador, no valor de R$ 393 milhões; para a linha de transmissão Vila Conde (R$ 184 milhões) e a pequena central hidrelétrica Salto Curuá (R$ 100 milhões).

O desembolso para o Nordeste no mesmo período ficou em R$ 5,929 bilhões e um dos projetos da região destacados por Paulo Guimarães foi o da construção do gasoduto Gasene, da Petrobras, para o qual foram destacados R$ 1,2 bilhão.

O volume de aprovações em 12 meses também teve evolução nas duas regiões destacadas pelo dirigente do BNDES. O aumento foi de 364% para projetos da região Norte e 36% da região Nordeste. “A gente atingiu, em relação ao Nordeste, nesse período dos últimos 12 meses, uma aprovação de R$ 10 bilhões. Ou seja, tivemos R$ 5,9 bilhões desembolsados e já temos R$ 10 bilhões aprovados. Na região Norte, nós tivemos R$ 3,7 bilhões de desembolsos e temos agora algo em torno de R$ 9,3 bilhões já aprovados”, observou.

Fonte: Agência Brasil

Por: redação

Tags: BNDES, Economia, Nordeste, Região Norte