Meio Ambiente

Durante reunião realizada nesta quinta-feira na Procuradoria da República no Tocantins, foi constatada a necessidade de participação do Ministério da Agricultura na definição das estratégias para retirada do gado da Ilha do Bananal, determinada pela Justiça em abril deste ano.

A medida é necessária para que a ação seja realizada de acordo com as normas sanitárias, pois os animais retirados da ilha devem ser encaminhados a outros locais

Segundo o procurador da República Álvaro Manzano, a reunião foi importante para definir estratégias para retirada, além de revelar um aspecto até então cogitado, a necessidade da participação do Ministério da Agricultura na busca por uma solução sanitária específica para este gado.

A vacinação do gado da ilha seria feita somente em agosto, quando a água dos rios da região baixam, e o gado retirado da ilha não poderá se misturar com animais que já estejam fora, já vacinados. “Esta discussão deve ser feita com a presença do Ministério da Agricultura, pois cabe a este órgão a regulamentação e criação de áreas de quarentena para abrigar estes animais. Então, definiremos como será a ação de campo”, disse.

Participaram da reunião representantes do Instituto Nacional do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Insituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Funai, Polícia Federal, Agrodefesa de Goiás, Instituto de Defesa Agropecuária do Mato Grosso, Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra) e Companhia de Policiamento Ambiental do Tocantins (Cipama).

Fonte: PR-TO

Por: Redação

Tags: Adapec, Funai, ilha do bananal, Mapa, Meio Ambiente