Estado

Foto: Valério Zelaya

O processo de implantação da Hidrovia Tocantins, que tornará o rio Tocantins navegável, viabilizando o transporte de cargas e de passageiros durante todas as épocas do ano, terá um momento histórico nesta sexta-feira, 16, quando um comboio parte em uma viagem experimental de aproximadamente três dias, para verificar as condições atuais de navegabilidade do rio. O governador Marcelo Miranda estará presente ao primeiro momento da viagem, que parte do município de Pedro Afonso, às 10h.

O comboio visa atestar a viabilidade do transporte de cargas, sendo composto por uma barcaça, com capacidade para transportar 800 toneladas de soja, e por um empurrador com potência de 800 HP, que serão acompanhados, no trajeto, por lanchas da Marinha e da estatal Ahitar - Administração das Hidrovias do Tocantins e Araguaia.

No total, o comboio percorrerá 400 km do rio, entre os municípios de Pedro Afonso e Aguiarnópolis, onde o trajeto será concluído na Plataforma Multimodal.

Com a viagem experimental, o comboio navegará quase todo o primeiro trecho da Hidrovia Tocantins, de 420 km, localizado entre Miracema e Aguiarnópolis. O segundo trecho, de 280 km, entre Miracema e Peixe, se tornará navegável com a conclusão da Eclusa de Lajeado, na Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães.

Em atividade, a Hidrovia Tocantins se integrará à Ferrovia Norte-Sul e à BR-153, em um sistema multimodal de transporte que facilitará as exportações do Estado, perspectiva que já atrai investidores e que deve acelerar o processo de industrialização do Tocantins, sobretudo nos municípios da região Norte.

Apesar de especialistas considerarem que, entre os modais de transporte, nenhum é superior ao outro, considera-se também que, para o transporte de cargas, as hidrovias e ferrovias são mais vantajosas economicamente que as rodovias. Além disso, elas causam menos poluição, menos acidentes e são mais baratas para construir.

O que é uma hidrovia

É o aproveitamento comercial de um rio (navegação fluvial), com a adaptação e manutenção do canal navegável através de obras pontuais e de sinalização.

 

Fonte: Secom