Economia

Foto: Divulgação  Comitiva visita quebradeiras de coco no povoado de Lagoa - Foto - Loise Maria Comitiva visita quebradeiras de coco no povoado de Lagoa - Foto - Loise Maria
  • Quebradeiras de coco do sul do Maranhão região próxima ao Bico do papagaio - Foto - Divulgação

Um acordo firmado entre a empresa Biovector S.A. de São Paulo, a empresa de engenharia Tecbio do Professor Expedito Parente e o governo do Estado do Tocantins dará início este ano à produção de biodiesel na região utilizando óleo de babaçu. A estimativa de produção anual é de 30 mil toneladas e os investimentos realizados atingem cerca de R$ 30 milhões. O projeto, que também possui cunho social, conta com a participação da organização ibérica Metacortex e adotará a mão-de-obra de 2 mil catadeiras de babaçu pertencentes a famílias da região do Bico do Papagaio.

Pelo pioneirismo e por viabilizar a integração da população local ao seu desenvolvimento, o projeto já despertou a atenção de comunidades estrangeiras com interesses semelhantes, caso da Namíbia e de Angola. Ambos países africanos estão enviando comissões oficiais ao Tocantins em dois meses para conhecer de perto a experiência.

A parceria entre a Biovector e a Metacortex teve início em 2007, quando firmaram o compromisso de construção da usina no município de Paraíso, em Tocantins. À frente de um pool de investidores, a Biovector vem realizando investimentos de US$ 100 milhões para produção de biodiesel e mais US$ 20 milhões para biomassa.

O objetivo é produzir 100 milhões de litros de biodiesel por ano -- utilizando como matérias-primas girassol e pinhão-manso. Em uma segunda fase, o projeto prevê a sua ampliação para um programa de bionergia, com o aproveitamento de toda a matéria-prima disponível na usina, gerando energia elétrica a partir da biomassa dos produtos utilizados (girassol e pinhão manso).

Para estudar a viabilidade e estruturar o plano de negócios da nova usina, a Biovector contratou a Metacortex Consultoria e Modelação de Recursos Naturais, empresa ibérica, especializada em consultoria agropecuária e florestal. "Esses projetos são complexos e exigem um estudo minucioso. A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) é bem rigorosa e precisávamos atender à exigência de qualidade brasileira, européia e americana. Por isso buscamos uma empresa com expertise na área", explica André Vienna, diretor da Biovector S.A.

Segundo ele, o estado do Tocantins foi escolhido por sua localização estratégica - a fábrica está a 11 km de distância da Ferrovia Norte-Sul - e pelo apoio oferecido pelo governo estadual. A expectativa de produção é de 100 mil toneladas de biodiesel por ano, voltadas para consumo interno. A empresa também pretende exportar a partir do próximo ano. A usina tem início de atividade previsto para o segundo semestre de 2009.

A área de produção inicial é de 10 mil hectares, mas a projeção é adquirir mais 70 mil hectares em três anos. A principal matéria-prima é o girassol e pinhão manso, mas agora a exploração do potencial de produção de biocombustível será iniciado a partir do babaçu. À estimativa inicial de gerar 100 empregos diretos em Tocantins e mais ocupação para mais 900 famílias que trabalham no campo, soma-se agora a cooperação da mão-de-obra de 2 mil catadeiras de babaçu.

A Metacortex será responsável pela estruturação do projeto, pela captação de recursos e, futuramente, pela gestão do processo agroindustrial por meio do Natural Assets Planning System - Biofuels (NAP-B). O NAP-B é um conceito de integração de sistemas de informação de suporte ao negócio de produção de biocombustíveis.

O programa baseia-se em uma arquitetura conceitual que permite a gestão integrada de informações para planejamento e operacionalização da atividade empresarial. Em Portugal e na Espanha, a Metacortex lidera o mercado na aplicação dessa metodologia junto ao setor de papel e celulose. "O NAP-B é fundamental no processo de tomada de decisões sobre o sistema de informações que dará suporte à produção agroindustrial'', afirma Renato Giraldi de Melo, diretor-executivo (CEO) da Metacortex do Brasil.

 

Fonte: Rossi Comunicação

Por: redação

Tags: Babaçu, Biodiesel, Economia