Polí­tica

Foto: Divulgação

A falta de continuidade na política de saúde dos municípios e de cuidados básicos como o pré-natal são algumas deficiências apontadas pela deputada Josi Nunes (PMDB) durante a Mobilização Estadual pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal, realizada nesta quarta-feira, dia 28, no auditório da Assembléia Legislativa. Além de Josi, que representou o presidente do Legislativo, deputado Carlos Henrique Gaguim (PMDB), participaram do evento, membros das secretarias de saúde do Estado e da Capital e representantes do Ministério da Saúde.

O objetivo da mobilização, segundo a superintendente de atenção e promoção à saúde da Sesau, Maria Auri Gonçalves, “é informar e mobilizar os agentes e gerentes técnicos responsáveis pela Saúde da Mulher e de Prevenção ao Óbito Materno, Fetal e Infantil, além de propor medidas que impliquem na redução dos índices de mortalidade do Estado”, comentou.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma proporção aceitável é de até 20 mortes maternas em proporção ao número de nascidos vivos em um grupo de cem mil habitantes. O Tocantins vem evoluindo, na questão da diminuição da mortalidade materna e neonatal.

A técnica de área de coordenação de Informação e Estratégia de Vigilância em Saúde, Erlaene Tedesco, apresentou informações ao público de que no ano 2005 o índice de morte no Tocantins foi de 76 e decresceu para 37, apuradas em 2007. “Contudo, o Estado ainda não atingiu a média exigida pela OMS e isso requer mais esforço de nossa parte”, afirma.

Fonte: Dicom A. L

Por: Redação

Tags: Assembleia Legislativa, OMS, Política