Polí­tica

Foto: J. Freitas

A senadora Kátia Abreu denunciou nesta tarde de quarta-feira, 4, no Senado, a decisão do Ibama de embargar as áreas do Projeto Rio Formoso (Formoso do Araguaia) e de Lagoa da Confusão para plantio.

Segundo a senadora, o projeto Rio Formoso foi implantado há mais de 30 anos, ainda sob a administração do ex-ministro da Agricultura, Alysson Paulineli, que implantou ainda a Embrapa e a Emater, além do Projeto Provárzeas, de incentivo à produção no cerrado brasileiro. “No Tocantins nós criamos o Projeto Formoso e o Projeto Lagoa da Confusão, ainda quando era Goiás, no Governo Ary Valadão, com mais de 200 mil hectares de arroz irrigado por gravidade, que foram embargados agora porque, segundo o Ibama, é área de preservação permanente”, discursou. “Quer dizer então que criado há mais de 30 anos só agora é que ocupa área de preservação?”, continuou.

Com isto, segundo a senadora Kátia Abreu, mais de 400 mil hectares de terras no Tocantins deixarão de ser usadas para plantio de alimentos. ”Tudo porque o Ibama agora, depois de 30 anos, decidiu colocar a área como de preservação permanente”, disse Kátia, salientando ainda que a decisão prejudica os produtores em função dos investimentos de tanto tempo na área sem indenização do governo federal.

Kátia Abreu cuidará do meio ambiente

Em um momento em que o desmatamento da Amazônia ganha destaque no país e no exterior, a senadora Kátia Abreu (DEM-TO), da oposição, será a sub-relatora para assuntos de integração nacional e de meio ambiente dentro do Orçamento federal para 2009. A escolha foi feita na tarde desta terça-feira, 3 durante reunião dos representantes dos líderes partidários na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO).

 

Umberto Salvador Coelho

Da redação com informações da assessoria da sen. Kátia Abreu e Agência Senado

Por: Redação

Tags: Lagoa da Confusão, Política, Rio Formoso