Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual José Geraldo (PTB) assumiu nesta terça-feira, 17, sua pré-candidatura à prefeitura municipal de Paraíso. Em entrevista ao Jornal Correio do Povo, principal veículo de comunicação da cidade paraísense, o petebista resolveu tornar pública sua decisão e explicar os motivos que o levarão a disputar o poder executivo da cidade.

O parlamentar explicou que sua postura, está relacionada ao apelo popular feito pela comunidade durante seu trabalho como deputado estadual, juntamente com o reconhecimento da população através dos quase 6 mil votos, que o elegeu como representante no parlamento. “Como cidadão, trabalho por Paraíso há mais de 14 anos e sempre fui um incansável defensor do crescimento e desenvolvimento desta cidade.”.

José Geraldo, que já conta com o apoio dos partidos, PSDB, PV, PRTB, PP, PT do B e PMN, ressaltou que no momento assume a pré-candidatura, mas que no dia 28 de junho, data da convenção da UP – União por Paraíso – na quadra coberta do colégio Presbiterianos da cidade, tornará oficial sua candidatura pelo grupo da União do Tocantins, a qual será apoiado, mesmo sem a participação do PR.

Quanto ao nome que o acompanhará na chapa, o parlamentar não divulgou a decisão e afirmou que está em negociações com os diversos partidos que compõem sua base no município, considerando a convenção o momento certo para a confirmação do candidato a vice-prefeito. “Nós estamos conversando com os outros partidos da coligação, e até o dia da convenção já teremos o nome do vice ou da vice da nossa chapa.”.

Com relação às duas primeiras candidaturas, José Geraldo disse que a grande diferença esse ano está associada ao atual reconhecimento da sociedade e a experiência adquirida nas diversas entidades pela qual passou, além dos quase dois anos de mandato, que poderá o habilitar para uma determinada preferência do eleitorado, “exatamente por ter conhecimento dos problemas enfrentados pela nossa comunidade e ter participado ativamente todos esses anos na busca das soluções.”, argumentou o petebista.

Rebatendo as críticas de que seria o criador da taxa de iluminação pública, quando era Secretário de Desenvolvimento Econômico no governo do ex-prefeito Hider Alencar, o petebista reforçou que na época não trabalhava mais na Secretaria, e que a situação teria sido usada para prejudicá-lo no processo eleitoral. “A verdade é o contrário: fui responsável pela REDUÇÃO de taxas e impostos, como IPTU, Alvará de Licença e o ITBI, que era 3% a alíquota e nós baixamos para 1%. Também isentamos idosos e pessoas de baixa renda. O código tributário e as guias de recolhimento de IPTU são as provas para quem precisar. Quem pregar ao contrário disso, é mentiroso e não merece crédito”.

Questionado sobre as propostas que farão parte de sua base eleitoral, o deputado explicou que o momento é de respeito à legislação eleitoral que não permite divulgar nenhum plano de governo, mas que, no entanto é preciso associar projetos para o desenvolvimento da cidade à geração de emprego e renda, além de promover mudanças nos setores da saúde e da educação.

Na sua mensagem final ele voltou a destacar a importância de um tempo novo em Paraíso, com um líder novo comprometimento com a gestão e os beneficiários, “onde os interesses do povo estejam na frente dos interesses dos grupos, onde a familiocracia dê lugar ao profissionalismo e os resultados comecem a aparecer para todos.”, encerrou o pré-candidato assumido.

Perfil

Formado em direito pela UniAnhanguera de Goiânia, com MBA em Gestão Empresarial, pela UFRJ e Gestão Financeira de Cooperativa de Crédito, pela FGV. Em 1995, já como empresário, fundou e presidiu o Conselho de Desenvolvimento de Paraíso – CONDEPAR. Em 1997 e 1998 exerceu a presidência da Associação Comercial e Industrial de Paraíso – ACIP e de 1998 a 2006 presidiu a Cooperativa de Crédito Rural de Paraíso – SICOOB CREDIPAR. Associativista por natureza participou do conselho superior da Faculdade de Ciências e Letras de Paraíso – FECIPAR, da Federação das Associações Comerciais do Tocantins – FACIET, da Organização das Cooperativas do Tocantins – OCB/TO, como Vice-Presidente, além de diversas associações assistenciais, como a APAE/Paraíso. Sua carreira política teve inicio em 1999, na cidade de Paraíso/TO, ao assumir a presidência do PTB municipal; em 2001 à frente da SEDE - Secretária Extraordinária Municipal de Desenvolvimento Econômico, fundou e presidiu o Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Paraíso - CIDETEC; em 2006 conquistou uma vaga de Deputado Estadual e em 2007 assumiu a Segunda Secretaria da Mesa Diretora da Assembléia Legislativo do Estado e a Presidência do PTB no Tocantins.

Confira na íntegra a entrevista ao jornal Correio do Povo:

1. Deputado, a grande dúvida plantada por seus opositores é de que o senhor disputará as eleições para prefeito de Paraíso. O senhor é ou não candidato a prefeito de Paraíso?

Posso responder com todas as letras: sou pré-candidato a prefeito de Paraíso. Estou assumindo a pré-candidatura e no dia 28 de junho, na Convenção da UP (União por Paraíso), converteremos nossa pré-candidatura em candidatura oficial.

2. Por que o senhor nesse momento quer deixar de ser deputado estadual para ser prefeito de Paraíso, o que o leva a tomar essa decisão?

É o apelo popular. No dia a dia, como deputado, visitando os bairros, interagindo com as pessoas na feira, no mercado municipal, andando pelas ruas, visitando amigos, tenho escutado pedidos pela implantação de uma visão empreendedora para a administração pública de Paraíso. Para assim contribuir com a construção de uma vida melhor para nossa gente, e isso tem tocado meu coração, e como alguém apaixonado por esta cidade, e pelo povo que nela vive, eu não poderia deixar de atender a esse apelo. É o povo que clama por um modelo novo de administração em Paraíso. O modelo velho o povo já conhece e sabe que não deu certo.

3. O senhor participou de duas eleições em 2000 outra em 2004 qual será o diferencial dessa campanha?

Como cidadão, trabalho por Paraíso há mais de 14 anos e sempre fui um incansável defensor do crescimento e desenvolvimento desta cidade. E a população reconheceu este trabalho elegendo-me deputado estadual em 2006, com quase 6 mil votos só em Paraíso. Esse reconhecimento e a experiência adquirida nas diversas entidades, associações, cooperativas, secretaria do desenvolvimento e no conselho de desenvolvimento, bem como nesses quase dois anos de mandato me habilitam a estar em vantagem na preferência do eleitorado, exatamente por ter conhecimento dos problemas enfrentados pela nossa comunidade e ter participado ativamente todos esses anos na busca das soluções. E essa é a grande diferença nas eleições deste ano.

2. Uma vez registrada sua candidatura, quais propostas formarão a base da sua campanha?

A população de Paraíso conhece nossos projetos para desenvolver nossa cidade e gerar emprego, renda e bem estar para o povo e o momento é de respeito à legislação eleitoral que não permite divulgar um plano de governo. Durante a campanha vamos publicar nossas propostas. Como disse anteriormente trabalho por Paraíso todos os dias desde 1.994, quando colei grau em direito e voltei para nossa cidade. Portanto, conhecemos cada problema e inúmeras vezes debatemos buscando soluções, desta forma continuaremos sempre ouvindo e trabalhando junto com nossa população realizando o que o povo quer e não o que achamos que o povo quer. E a comunidade clama por dias melhores principalmente no que diz respeito à saúde, segurança, educação e emprego. Para promover essas mudanças, é preciso ter fé, coragem e determinação. E essas características têm nos acompanhado durante nossa trajetória de vida.

Em quase dois anos de mandato, que recursos o senhor destinou a Paraíso?

Diferentemente dos deputados federais e senadores os deputados estaduais contam com pequena margem para trabalhar a destinação de recursos e somente no final de cada ano pode, dependendo totalmente da vontade política do Governador, apresentar emendas ao orçamento. Portanto, apresentei emendas relativas ao ano 2007 para serem liberadas no transcorrer de 2008, e no final deste ano apresentarei, caso permaneça o programa, novas emendas que beneficiarão outras entidades e a própria prefeitura. Sempre com o critério de atender os organismos que realmente farão chegar na ponta e aproveitando plenamente os recursos em benefício do nosso sofrido povo. As emendas foram destinadas e entregues aos segmentos como a Apae, Liga de Combate ao Câncer, Instituto Serra do Estrondo, Secretaria de Segurança Pública, Pastoral da Criança, Centro Espírita e Casa da Cultura em solenidade na Câmara Municipal de Paraíso. Acertamos tanto na escolha da destinação das emendas que o próprio Secretário de Planejamento do Tocantins elogiou nossa iniciativa de atender segmentos totalmente comprometidos com o desenvolvimento humano.

Como o senhor vê o cenário eleitoral em Paraíso tendo hoje dois candidatos da UT e a possibilidade de um total de seis concorrentes?

Com muita tranqüilidade, mesmo por que dentre os partidos da União do Tocantins apenas o PR não faz parte do nosso grupo, de maneira que a União do Tocantins está conosco. Quanto ao número total de candidatos acredito ser favorável em todos os aspectos. O povo irá escolher o candidato que trás uma proposta inovadora e nesse sentido representamos o novo.

O senhor é Espírita. Em outras eleições o senhor foi muito criticado com relação à sua religião, como o senhor vê esse fato hoje?

Fico feliz com a sua pergunta. Afirmo que se uma religião consegue transformar o ser humano num ser melhor, mais fraterno, menos egoísta, menos orgulhoso, menos vaidoso; se a religião consegue fazer de você uma pessoa mais sensível às dificuldades alheias e que faz você deixar os interesses particulares para trabalhar em beneficio de todos, essa religião com certeza é boa, por isso respeito e valorizo todas elas. Tudo que edifica o caráter do homem, que impõe mais ética, mais moral, mais disciplina, mais vontade de construir para o coletivo, não pode ser ruim. Então não vejo minha religião como negativa, muito pelo contrário, minha religião me ensinou a ajudar o próximo e a amar o meu semelhante.

Alguns opositores inclusive chegaram a dizer que o senhor estaria trabalhando em prol da sua religião e deixando as outras de lado, como o senhor avalia isso?

Eu avalio que o ser humano ainda carrega muita maldade dentro de si, infelizmente ainda existem pessoas fazendo política semeando a discórdia e colocando inverdades na rua, por não terem compromisso com a construção de uma sociedade mais justa e fraterna. O meu trabalho sempre foi e sempre será em benefício de todos, nunca faço acepção de pessoas. O povo irá eleger um gestor público, um administrador que deve ser empreendedor, ter competência, conhecimento e principalmente imparcialidade. O gestor tem que olhar por todos sem interesse de cor, segmento religioso, cultural ou socioeconômico nós iremos trabalhar por todos os paraisenses, independente de sua raça, cor ou religião, pois a discriminação seja ela em qualquer nível, é inaceitável e gera infelicidade, dor e sofrimento, e acima de tudo é contrária a lei ensinada por Jesus Cristo, onde prega o amor a Deus sobre todas as coisas e o amor ao próximo como a si mesmo, portanto quem ama não discrimina, não maltrata, não magoa o seu semelhante. Por outro lado a discriminação religiosa fere a constituição e as leis vigentes em nosso país. Quem critica uma religião descumpre a lei dos homens e desconhece a lei de Deus.

Você se considera candidato da elite como dizem seus opositores?

Só mesmo um adversário afastado do povo poderia dizer essa barbaridade. Minha carteira de trabalho mostra a minha trajetória humilde, emitida quando tinha 12 anos de idade, mas antes mesmo da primeira assinatura na CTPS trabalhava como balconista em uma panificadora iniciando a jornada às 5 h da manhã e encerrando às 17 h de segunda a segunda-feira. Quem quiser conhecer melhor a minha história é só me procurar. A minha sensibilidade vem exatamente dessa experiência de vida. Sei exatamente como as pessoas pensam e vivem porque vivi toda sorte de dificuldades, falta de casa própria, água encanada, meios de transporte, dinheiro para aquisição de livros, casa sem muro, dificuldades para ter acesso à saúde, enfim conheço o sofrimento do povo, porque minha essência é povo. Agradeço a Deus todos os dias pelas oportunidades oferecidas na vida, principalmente pela coragem de enfrentar os obstáculos enxergando sempre uma janela quando uma porta se fechava. Venci e quero criar condições para outras pessoas também possam encontrar a coragem necessária para vencer também. Criar oportunidades que não tive para aqueles que passam pelo que passei. Por isso aonde passo, sou cumprimentado como o “Zé do Povo”, o Zé que está na feira todo fim de semana, o Zé que vai ao mercado, o Zé que anda pelas ruas olhando nos olhos das pessoas porque não tem nada a esconder, porque não mentiu na última eleição. O Zé com um novo jeito de fazer política. Um bom gestor deve governar para todos, pobres e ricos. Quem diz que sou elite não conhece a minha história a minha relação com o povo de Paraíso.

O senhor foi responsabilizado pela criação da taxa de iluminação pública, depois que assumiu o cargo de Secretário de Desenvolvimento Econômico no governo do ex-prefeito Hider Alencar. Isso é verdade?

A verdade sobre esse caso é que na época da criação da taxa eu não trabalhava mais na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. Eu saí da prefeitura durante o período eleitoral, no dia 21 de agosto de 2002, e a taxa foi criada no final de dezembro de 2002. Portanto, foi a maior mentira pregada na história eleitoral de Paraíso. A verdade é o contrário: fui responsável pela REDUÇÃO de taxas e impostos, como IPTU, Alvará de Licença e o ITBI, que era 3% a alíquota e nós baixamos para 1%. Também isentamos idosos e pessoas de baixa renda. O código tributário e as guias de recolhimento de IPTU são as provas para quem precisar. Quem pregar ao contrário disso, é mentiroso e não merece crédito. A minha história mostra luta pela redução da carga tributária. O povo já paga impostos demais e continuo com o mesmo pensamento até hoje, por isso trabalhei pelo fim da CPMF e estarei trabalhando contra a CSS. O Governo Federal tem dinheiro sobrando (todos os meses é noticiado o recorde de arrecadação) o que precisa é administrar melhor os recursos já existentes.

Agora que o senhor oficializou sua pré-candidatura já tem algum nome à vice-prefeito?

Nós estamos conversando com os outros partidos da coligação, e até o dia da convenção já teremos o nome do vice ou da vice da nossa chapa.

O senhor acha que os prefeitos que o apoiaram para deputado estadual vão se sentir traídos pela atitude do senhor de concorrer a prefeito de Paraíso?

Nós trabalhamos em grupo, todas as decisões que tomamos são a partir de consultas e conversas com o povo, com o nosso grupo político, e também com todos que nos apoiaram na última eleição. Recebemos apoio total e irrestrito dos prefeitos e líderes dos diversos municípios que tivemos apoio e todos realmente querem nossa candidatura, inclusive vários estarão no nosso palanque.

Para finalizar, qual a mensagem o Senhor deixaria para o povo de Paraíso.

Uma mensagem de otimismo. Vamos juntos construir um tempo novo em Paraíso, onde os interesses do povo estejam na frente dos interesses dos grupos, onde a familiocracia dê lugar ao profissionalismo e os resultados comecem a aparecer para todos. A dengue, o calazar, a hanseníase, a demora de entrega dos exames e a sujeira seja apenas uma triste lembrança do passado e o bem estar finalmente apareça no seio de nossas famílias. O povo clama por um líder novo, com princípios, moral, ética, comprometimento com o povo, idéias e capacidade de fazer acontecer.

 

Fonte: Assessoria de imprensa dep. José Geraldo

Por: redação,

Tags: Paraíso do Tocantins, Política