Cultura

Emilio Santiago, Fernanda Takai, Leny Andrade, e Roberto Menescal são os grandes nomes da MPB e da Bossa Nova que participam do show, apresentado por Miele, “Um Papo com Bossa – 50 Anos de Bossa Nova”, que o CCBB Itinerante promove em Palmas no dia 26 de junho, às 18h30, no Theatro Fernanda Montenegro, como parte das comemorações do bicentenário do Banco do Brasil. Os ingressos estarão à venda na bilheteria do teatro, a preços populares: R,00 e R,50 para clientes BB, idosos, estudantes e professores da rede pública.

O show reúne no mesmo palco diferentes gerações e intérpretes do movimento que mudou a história da música brasileira. Os artistas seguem o roteiro de Solange Kafuri, que assina ainda a direção artística, evidenciando quatro diferentes momentos da história da Bossa Nova.

Fernanda Takai, integrante do grupo Pato Fu, e Roberto Menescal abrem o espetáculo com uma homenagem a Nara Leão. Eles interpretam canções como “O barquinho” (Menescal/Bôscoli) e “Corcovado” (Tom Jobim). Leny Andrade entra em seguida interpretando clássicos que marcaram o Beco das Garrafas, em Copacabana (RJ), e os pocket shows dirigidos pela dupla Miele e Bôscoli.

No terceiro momento do show, o compositor Roberto Menescal retorna ao palco e faz uma homenagem ao célebre Concerto do Carnegie Hall, apresentado em 1962, em Nova York, que marcou a entrada da Bossa Nova no exterior. Participaram desse concerto o próprio Menescal, Carlos Lyra, João Gilberto, Tom Jobim e Durval Ferreira, entre outros. Menescal interpreta, com sua sofisticada guitarra, “Wave” (Tom Jobim) e “Tem dó” (Baden Powell e Vinicius de Moraes), entre outras canções.

Emílio Santiago faz o encerramento do show com um repertório que inclui o clássico “Chega de Saudade” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes).

A apresentação do espetáculo fica a cargo de Miele que costura o roteiro com histórias do movimento nos seus 50 anos. Acompanha o show uma banda formada por Fernando Merlino ao piano, João Cortez na bateria, Rômulo Gomes no contrabaixo acústico, Arimatéia Oliveira no trompete e Julio Merlino no sax.

Neste ano, o Banco do Brasil completa 200 anos e, para celebrar a data, vem levando a todas as regiões do País, por meio do CCBB Itinerante, uma programação com atividades e eventos de música, teatro, cinema, literatura, fotografia e artes plásticas.

Show

Um Papo com Bossa – 50 Anos de Bossa Nova está dividido em quatro blocos que homenageiam os principais momentos de sua história:

1° Bloco: Tributo a Nara Leão

No apartamento de Nara, em Copacabana, eram constantes as reuniões musicais onde os compositores tocavam e cantavam suas novas músicas. Nara foi considerada a musa da Bossa Nova. Para interpretar este momento, a cantora FERNANDA TAKAI (integrante do grupo Pato Fu), que acaba de lançar um CD dedicado ao repertório de Nara Leão, e ROBERTO MENESCAL interpretam, dentre outras “O barquinho” (Menescal/Bôscoli) e “Corcovado” (Tom Jobim).

2º Bloco: O Beco das Garrafas

Localizado em Copacabana, o Beco das Garrafas abrigou o melhor do samba jazz e da bossa instrumental, e também os pocket shows dirigidos pela dupla Mieli & Bôscoli. Para interpretar este momento, uma grande cantora, que se apresentava no Beco das Garrafas ainda muito jovem, LENY ANDRADE interpretará clássicos como “Rio” (Roberto Menescal/Ronaldo Bôscoli) e “Batida diferente”, dentre outros..

3° Bloco: Carnegie Hall

Em 1962, a Bossa Nova começa a alçar vôo fora do nosso país. Nossos artistas são convidados a mostrar a nova música brasileira no histórico concerto do Carnegie Hall, onde são aplaudidos por importantes músicos americanos. Estavam presentes no palco Tom Jobim, João Gilberto, Carlos Lyra, Oscar Castro Neves e outros talentos. O próprio ROBERTO MENESCAL, importante compositor da Bossa Nova, interpreta esse bloco, incluindo músicas como “Wave” (Tom Jobim), “Tem dó” (Baden Powell e Vinicius de Moraes), dentre outras.

4º Bloco: Chega de saudade

Neste quarto bloco, registramos o momento que mudou a história da nossa música e a cabeça de músicos e compositores como Chico Buarque, Edu Lobo e Caetano Veloso: o lançamento do 78 rpm de João Gilberto “Chega de saudade” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), em julho de 1958. Para interpretar este momento, o grande EMÍLIO SANTIAGO cantará, acompanhado de todo o elenco, a canção mais emblemática da Bossa Nova, “Chega de saudade”, finalizando o espetáculo.

Local: Theatro Fernanda Montenegro – Av. Theotônio Segurado, s/nº, Espaço Cultural José Gomes Sobrinho - CEP: 77.085-030, Palmas/TO.

Horário: 18:30h

Ingresso: R$ 15,00 inteira e R$ 7,50 (estudantes, professores da rede pública, idosos, cliente BB)

Telefone: (63) 3218.5167

Classificação etária: a partir de 10 anos.

FICHA TÉCNICA

Artistas (em ordem alfabética):

Emílio Santiago

Fernanda Takai

Leny Andrade

Roberto Menescal

Apresentação: Miele

Direção e roteiro: Solange Kafuri

Músicos:

Bateria: João Cortez

Contrabaixo: Rômulo Gomes

Piano: Fernando Merlino

Sax e Flauta – Julio Merlino

Trumpete: Arimatéa Oliveira

Produção: MPB Marketing e Produções Artísticas

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Por: redação

Tags: Bossa Nova, cultura