Polí­tica

Foto: Carlos Roberto

A partir da próxima quinta-feira, 10 de julho, a prefeitura da capital, Palmas, passa para as mãos do PMDB. Assume a cadeira de prefeito o vice-prefeito peemedebista Derval de Paiva que deverá ficar no cargo por 3 meses. O horário em que Derval assumirá ainda será divulgado.

No sábado, 5, durante o registro de sua candidatura, Raul Filho (PT) informou que irá se licenciar do executivo da capital para trabalhar pela sua reeleição. Raul justificou seu afastamento na oportunidade dizendo que não é fácil conciliar ao mesmo tempo administração e campanha, e que não quer que haja questionamento sobre estar usando a estrutura administrativa durante o processo eleitoral.

Histórico

Derval de Paiva é um peemedebista histórico. Natural do município de Anhangüera, onde nasceu em 24 de junho de 1942, elegeu-se deputado estadual em Goiás pelo MDB em 1971, no período mais duro do regime militar. Eleito suplente de senador em 1982 assumiu temporariamente o lugar de Mauro Borges no ano seguinte. Com a divisão de Goiás para a criação do Estado do Tocantins, Derval de Paiva elegeu-se deputado federal pelo novo Estado em 1990. Em 2004 compôs como vice-prefeito, a chapa vitoriosa para prefeitura de Palmas encabeçada por Raul Filho.

Derval é tido como um dos mentores da articulação que levou ao Rompimento do Governador Marcelo Miranda (PMDB) com a União do Tocantins – UT em 2005, propiciando sua reeleição ao governo do Tocantins em 2006.

Político de oratória contagiante, Derval sempre se faz ouvir com atenção por suas palavras de unidade e diplomacia, carregadas de viés poético que incendeiam até a mais gélida platéia.

 

Umberto Salvador Coelho