Cultura

Foto: Divulgação

Durante este mês a banda Engenho Novo prepara a gravação de três demos que serão enviadas para diversos festivais e eventos culturais do país, além da disponibilização para os internautas.

A banda engenho Novo é um projeto musical que começou em maio de 2008, depois de uma eventual apresentação musical que rendeu sinceros elogios e ações de apoio ao projeto. Logo após esse primeiro ato, a banda acordou para o seu potencial e se fez composta pelo quarteto que corresponde aos respectivos nomes e funções: Mário (baterista), Di (vocalista, compositor e violonista), Guido (guitarrista) e Alex (baixista).

A banda descende das composições de Di, que retratam a música popular brasileira através das emoções humanas, da vida, da natureza, do amor na sua forma mais pura e necessária.

O teatro, a música e a poesia formam um provocativo e indigente triângulo amoroso dentro do Engenho Novo, que é uma banda bipolar, variando entre o ar lírico e o humor escraxado de músicas como "Serafina Me Chifrou", que segundo o vocalista, foi composta para uma boneca inflável; "Frango Assado Suicida" e "Aquela Música Sem Refrão", todas já entre as rodinhas universitárias.

A parte mais séria dos bons moços apresenta composições como "Nane" um single das grandes pequenezas da vida; "Havaianas 36", música de trabalho da banda e "Amuleto" que intitula o show programado para ser lançado em outubro.

Curiosamente, apesar de nunca terem se apresentado oficialmente, a não ser em uma montagem curta para o IV Salão do Livro e pequenas aparições em eventos universitários, a banda já conta com um número significativo de olhares.

O segredo desse sucesso foi o investimento da banda na internet. Com um ótimo material visual e bons textos conseguiram montar um blog (www.engenhomundonovo.blogspot.com) com ótima visibilidade, onde pode-se ter informações sobre a banda, as músicas, os comentários do compositor, os links para vídeos e MP3 e saber como participar do processo de crescimento da banda. Usam ainda o orkut; o Youtube, onde disponibilizaram vídeos de versões acústicas das músicas, e sites de bandas alternativas onde pode-se ter acesso a algumas músicas em MP3. Todas essas ferramentas estão sendo exploradas por bandas alternativas em todo o país, mostrando o papel democratizador da internet em relação à arte.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Por: Redação

Tags: cultura, Demos, Engenho