Geral

Foto: Carlos Roberto

A Câmara de Vereadores de Palmas aprovou na primeira sessão ordinária após as eleições de 5 de outubro, nesta terça-feira, 7, a continuação da licença do prefeito Raul Filho (PT) até o dia 31 de dezembro. O prefeito em exercício Derval de Paiva (PMDB) continuará à frente da administração municipal e passará a faixa ao prefeito licenciado e reeleito.

O Conexão Tocantins já havia adiantado esta possibilidade em matéria veiculada no dia 08/07, em que o deputado estadual Eli Borges (PMDB) dava a informação. Na ocasião o presidente regional do PT, Donizeti Nogueira, não disse nem que sim, nem que não, apenas afirmou que só o prefeito poderia responder a tal questão.

Edna Agnolin

A vereadora Edna Agnolin (PDT), eleita vice-prefeita, usou a tribuna para reafirmar os compromissos de campanha, como a instalação do pólo de confecções e a criação da Fundação Universitária, além de agradecer. Edna informou já ter conversado com o ministro de Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, para trazer a Palmas os recursos necessários para capacitar 5,5 mil pessoas que trabalharão no pólo de confecções.

Edna disse ainda, que a prefeitura já tem R$ 3 milhões para concluir o Centro de Convenções e que o objetivo é desenvolver o turismo de negócios e o turismo religioso que traz, anualmente, milhares de fiéis de todas as igrejas a Palmas.

A vice-prefeita eleita garantiu que vai recorrer ao Palácio Araguaia e ao governador Marcelo Miranda (PMDB), a quem ajudou a eleger, em 2006, para buscar as parcerias necessárias ao desenvolvimento de Palmas. “Tenho certeza que ele não vai falhar conosco.”

A vereadora Cirlene Pugliese (PMDB), na tribuna, lamentou não ter sido reeleita, e criticou o PMDB, afirmando que não respeita o partido por não ter ajudado os companheiros. “O nosso partido, o PMDB, vai ter de juntar os caquinhos, pois ficou despedaçado. Nunca vi um partido tão sem comando”, disparou a vereadora.

 

Umberto Salvador Coelho

Da redação com informações Dircom/CM-Palmas