Economia

De acordo com o INEC (Índice Nacional de Expectativa do Consumidor), divulgado na última sexta-feira, 10, pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), os brasileiros tiveram um aumento da expectativa de renda pessoal de 4,6% em setembro, quando comparado ao mesmo período de 2007.

Na comparação com a última medição, em julho, os indicadores de expectativa de renda pessoal cresceram 4,7%, já os de avaliação da situação financeira atual e do grau de endividamento aumentaram 4,2% e 4,8% respectivamente.

Uma das possíveis explicações para essa elevação de renda são os reajustes salariais, acima dos índices de inflação e também a redução da taxa de desemprego. Porém, segundo o estudo, no próximo ano, haverá uma cautela sobre o crescimento de renda do brasileiro devido ao aumento da taxa de juros e os efeitos da crise financeira mundial.

Perspectivas dos brasileiros para os próximos seis meses

A população está divida quanto às expectativas de renda para os próximos seis meses. Cerca de 56% dos brasileiros acreditam que sua renda irá diminuir. Entretanto, para 44% dos brasileiros a renda pessoal irá aumentar.

Os brasileiros da região Sudeste são os menos otimistas, uma vez que, 51%, acreditam que sua renda será menor. Já para 44% dos nordestinos, a renda pessoal irá crescer.

Situação Financeira

O estudo também revelou que a população teve uma alta de 4,8% na avaliação da atual situação financeira, no terceiro trimestre de 2008, quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

Para 47% dos brasileiros, a sua situação financeira irá permanecer a mesma, enquanto 39% acreditam que a sua situação financeira será melhor. Dentre os cautelosos que esperam para os próximos seis meses uma situação financeira estável e equilibrada, 53% residem na região Sul do País. Já 43% dos brasileiros otimistas que esperam que sua situação financeira seja melhor moram na região Nordeste.

A pesquisa foi realizada com aproximadamente duas mil pessoas, entre os dias 19 e 22 de setembro, nas grandes regiões metropolitanas brasileiras.

 

Fonte: InfoMoney

Por: Redação

Tags: CNI, Economia, Renda