Polí­tica

O deputado Ricardo Barros (PP-PR) protocolou nesta quarta-feira, 5, na Câmara o pedido de criação de uma CPI para investigar a influência da divulgação de pesquisas nos resultados das eleições e a independência dos institutos. O requerimento tem 183 assinaturas, 12 a mais que o número mínimo exigido.

Segundo Barros, as últimas disputas revelaram divergências entre as sondagens e os resultados apurado nas urnas. Ele diz que, “de forma gritante”, isso alterou a qualidade do processo eleitoral.

Mas a CPI não deve ser criada facilmente. De acordo com o regimento da Câmara, só podem funcionar cinco comissões de inquérito ao mesmo tempo. Atualmente, só a CPI dos Grampos está ativa, mas há oito requerimentos pendindo CPIs à espera de autorização do presidente da Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP).

Para “furar a fila” e conseguir criar uma comissão, seria necessário um projeto de resolução apoiado por 171 deputados. Nesse caso, quem decidiria a instalação da CPI não seria o presidente, mas o plenário da Câmara, depois de ouvidas as comissões permanentes da Casa.

Fonte: Congresso em Foco