Estado

Em carta dirigida ontem, quarta-feira, 13, ao presidente da comissão especial que discute a proposta de reforma tributária, deputado Antonio Palocci (PT-SP), 16 secretários estaduais de Fazenda pediram mais tempo para "aprofundar" a discussão do substitutivo apresentado pelo relator, deputado Sandro Mabel (PR-GO), e apresentar sugestões de mudanças. Eles não dão prazo, mas solicitam que o substitutivo não seja posto em votação "sem que os problemas apontados sejam equacionados".

Palocci considerou a carta "um documento essencialmente político". Lembrou aos membros da comissão especial, reunidos ontem à noite, que o documento foi lido no plenário da Câmara, antes mesmo de lhe chegar às mãos. "A elegância não é um pré-requisito para uma manifestação política", ironizou.

A carta não vai, segundo ele, criar dificuldades para a tramitação da reforma. "Não vejo nada que inviabilize a proposta", afirmou. "Vamos ouvir as ponderações dos secretários (durante audiência pública hoje na comissão especial) e ponderar as questões levantadas por eles. Depois, esta Câmara dos Deputados terá de tomar suas decisões", observou, deixando claro que não vai atender ao pedido de mais prazo feito pelos secretários.

A assinatura do secretário de Fazenda de São Paulo, Mauro Ricardo, encabeça a lista de secretários. Também assinaram o documento os secretários de Fazenda de Santa Catarina, Roraima, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Paraíba, Paraná, Pará, Minas, Mato Grosso, Espírito Santo, Distrito Federal, Amapá, Alagoas, Tocantins e Sergipe. Não quiseram assinar os do Ceará, Maranhão, Amazonas, Goiás, Bahia, Piauí, Pernambuco, Rondônia e Acre. Ainda podem aderir ao documento, segundo fontes do PSDB, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

Fonte: Agência Estado com informações O Estado de S. Paulo.

Por: Redação

Tags: Estado, Mobilização, Reforma Tributária