Meio Ambiente

Foto: Divulgação Livro analisa solo, vegetação, água e clima do cerrado e fornece lista de 12 mil espécies de sua vegetação Livro analisa solo, vegetação, água e clima do cerrado e fornece lista de 12 mil espécies de sua vegetação

Os resultados de mais de dez anos de estudos sobre os recursos naturais do Cerrado, realizados por quase 50 pesquisadores de diversas instituições, foram sistematizados nos dois volumes do livro Cerrado: Ecologia e Flora, que somam mais de 1,2 mil páginas.

A obra foi lançada pela unidade de Informação Tecnológica da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em parceria com a Embrapa Cerrados, com apoio financeiro da organização não-governamental The Nature Conservancy (TNC).

O livro foi organizado por José Felipe Ribeiro, Semíramis Pedrosa de Almeida e Sueli Matiko Sano, todos pesquisadores da Embrapa Cerrados. De acordo com Ribeiro, o objetivo da publicação foi reunir o conhecimento atualizado sobre o bioma, contribuindo com a implantação de modelos de desenvolvimento sustentável, por meio de tecnologias que possibilitem, ao mesmo tempo, a preservação e o uso racional da biodiversidade do Cerrado.

“O que não é conhecido não é valorizado. Por isso, tentamos reunir o que há de mais importante atualmente sobre os recursos naturais do bioma. O livro é uma versão revista e ampliada de uma edição publicada em 1998, à qual foram acrescentados estudos sobre água e clima, além dos que já haviam sido apresentados sobre solo e vegetação”, disse.

Segundo Ribeiro, além de tornar disponível para o pesquisador e para a academia o conhecimento sobre o bioma, o livro procura integrar as informações sobre solo, vegetação, clima e água, avaliando as condições das paisagens em termos de fragmentação do Cerrado, do uso de espécies nativas e da dinâmica da vegetação.

“O primeiro volume discute como o manejo correto desse ambiente pode gerar recursos financeiros para o produtor, estimulando a conservação do Cerrado. O segundo volume inclui uma lista das mais de 12 mil espécies da vegetação do bioma”, explicou.

Os estudos tiveram participação de pesquisadores das áreas de engenharia agronômica e florestal, biologia, botânica, geologia, economia, farmácia, entre outros. No primeiro volume, foram analisadas diversas tecnologias que possibilitam a conservação e o uso racional da biodiversidade do bioma.

“São descritos os principais recursos tecnológicos desenvolvidos nos últimos anos, como a criação, a ampliação e a manutenção de bancos de germoplasma para o uso em programas de melhoramento genético, caracterização florística, fitossociológica e morfológica, agronômica e a domesticação de espécies com potencial econômico”, explicou.

No segundo volume é feito um inventário atualizado de 12.356 espécies do bioma, fornecendo os hábitos das plantas, os ambientes em que ocorrem e algumas amostras indicativas de herbário ou fontes bibliográficas das espécies. Os oito autores também participaram do primeiro volume.

Conservação e produção aliadas

O Cerrado, de acordo com o livro, é o segundo maior bioma do Brasil, com mais de 1,9 milhão de quilômetros quadrados de área que se estende por 12 estados e pelo Distrito Federal. Reúne cerca de um terço da biodiversidade do país e 5% da fauna e flora mundiais. Mas, em pouco mais de três décadas, metade da vegetação nativa já se perdeu na dinâmica da ocupação humana, resultado principalmente das atividades agropecuárias, do desenvolvimento urbano e de outras ações que avançam sobre a região.

Segundo os autores do livro agora lançado, a palavra-chave para recuperar o bioma é “parceria”. “A sociedade, a política e a ciência precisam agir em conjunto para que as iniciativas repercutam e efetivamente beneficiem o Cerrado.

As ações individuais não funcionam, por isso temos que integrar os interesses, colocando do mesmo lado a conservação e a produção”, afirmou Ribeiro. Segundo o pesquisador da Embrapa Cerrados, se a integração da conservação e da produção não for feita com urgência, o Cerrado poderá desaparecer dentro de 30 anos.

“Não adianta achar que nada mais vai ser produzido no Cerrado, ou culpar a agricultura pela devastação. Na nossa perspectiva, temos que olhar a propriedade rural do jeito que o produtor a vê. Ele tem uma área que produz e, para garantir sua produção, deve pensar de maneira sustentável. É preciso mostrar que, dentro de uma análise financeira econômica, a agricultura só funciona com sustentabilidade, integrando produção e conservação”, disse.

Cerrado: Ecologia e Flora – Volume 1

Autores: José Felipe Ribeiro, Semíramis Pedrosa de Almeida e Sueli Matiko Sano (orgs.)

Lançamento: 2008

Preço: R$ 70

Páginas: 408

Mais informações: http://livraria.sct.embrapa.br

Cerrado: Ecologia e Flora – Volume 2

Autores: José Felipe Ribeiro, Semíramis Pedrosa de Almeida e Sueli Matiko Sano (orgs.)

Lançamento: 2008

Preço: R$ 80

Páginas: 876

Mais informações: http://livraria.sct.embrapa.br

 

Da redação com informações Agência FAPESP