Geral

A Polícia Militar do Tocantins, por meio do comandante do policiamento da Capital, coronel Edivan Ribeiro de Souza, se reuniu na tarde desta quinta-feira, 15, com os taxistas, mototaxistas e presidentes dos sindicatos das duas classes para tratarem sobre o combate a criminalidade na Capital.

Também participaram da reunião e firmaram parceria com estes profissionais do trânsito, o diretor de polícia metropolitana e especializada, Hélio Lima, o presidente da ATTM, Silvio Portilho, os comandantes do 1º e 6º Batalhões e representantes da Guarda Metropolitana e do Siop – Sistema Integrado de Operações.

Segundo o comandante do CPC, as ações tratadas nesta reunião serão estendidas a todas as cidades circunvizinhas a Palmas, assim como a parceria será feita com os demais centros urbanos do Estado. Na Capital, a ação servirá de Projeto Piloto para a implantação nos demais municípios, como preceitua a Filosofia de Polícia Comunitária.

Para Edivan, sendo que os taxistas e mototaxistas estão sempre circulando pelas ruas e bairros das cidades, eles podem auxiliar a polícia quando perceberem movimentações suspeitas de pessoas, e prestarem informações como cidadãos também responsáveis pela segurança. Em contra partida, os órgãos de segurança prestarão apoio aos mesmos em caso de suspeita de passageiro que possa causar ameaça durante suas atividades profissionais.

Também foram discutidas nesta reunião, algumas estratégias a serem adotadas, como a disponibilização de cartões de identificação e crachás com fotografia do condutor do veículo para facilitar a identificação durante as blitzem. No táxi a identificação ficará no painel do veículo, já o mototaxista usará o crachá. Com isto o condutor será reconhecido pelo policial e terá mais garantia de segurança, enquanto que o trabalho preventivo será mais agilizado.

Além da identificação dos veículos, a polícia também pretende integrar o sistema de comunicação da categoria com o das polícias, para quando o veículo estiver com passageiro suspeito o sistema alertar os policiais sobre a situação, assim o táxi ou moto será rastreado e abordado pelas viaturas da área. A idéia foi aprovada pela categoria e deverá ser colocada em prática em breve.

Os taxistas e mototaxistas também foram alertados a serem mais criteriosos ao pegarem passageiros ou circularem com o veículo em locais de risco. Para o coronel Edvian estes profissionais precisam ser mais maliciosos durante o trabalho.

Foi solicitado também aos representantes dos sindicatos, uma relação dos pontos de táxi mais críticos e vulneráveis a ações criminosas, onde possivelmente os taxistas ou mototaxistas possam ser vitimados com mais freqüência, para que seja feito de imediato, o monitoramento do local pelos serviços de inteligência e de radiopatrulhamento

Coronel Edivan pediu ainda aos taxistas e mototaxistas para registrarem todas as ocorrências envolvendo as classes, para que as ações criminosas contra estes profissionais sejam controladas previamente, “pois estes números ajudarão a polícia a redimensionar o policiamento e prestar um serviço mais eficiente, eficaz e efetivo”, conclui Edivan.

Fonte: Polícia Militar

Por: Redação

Tags: Mototaxi, Polícia, Polícia Militar, Taxi