Polí­tica

O deputado Ângelo Agnolin (DEM) disse neste domingo, 1º de fevereiro, logo após a sessão especial que empossou a Mesa Diretora para o 2º biênio da 6ª Legislatura, que assunto de liderança de governo é coisa que ele não trata.

O nome do deputado vem sendo especulado para assumir a função antes exercida pelo deputado Junior Coimbra (PMDB), que assumiu a 1ª vice-presidência da Mesa Diretora e não poderá mais ser o líder do governador na Assembléia.

Outros nomes especulados são o de César Halum (DEM), que em função das atividades à frente da presidência da UNALE - União Nacional dos Legislativos Estaduais se torna incompatível e o da deputada Josi Nunes (PMDB). Josi foi a mais votada entre os deputados desta legislatura. O deputado Sandoval Cardoso (PMDB) também vem sendo lembrado por algumas lideranças.

O certo é que a indicação do nome deve ser feita pelo governador nesta terça-feira, 03. Agnolin, possuidor de excelente retórica, é com certeza o melhor nome do governo para fazer frente aos ataques da oposição, mas caso as especulações se confirmem sua função poderá ser inglória e até mesmo conflitante com atual conjuntura de forças, onde sua esposa, a vice-prefeita de Palmas, Edna Agnolin (PDT), faz parte de uma frente que não foi apoiada pelo governador nas eleições da capital.

Governadoriáveis

O deputado Agnolin comentando sobre a mesa de autoridades da sessão especial de posse disse que ali estavam quatro governadoriáveis para 2010. A menção foi relacionada às presenças do prefeito de Palmas Raul Filho (PT); vice-governador, Paulo Sidnei (PPS); senador João Ribeiro (PR) e senadora Kátia Abreu (DEM).

Questionado sobre o fato de que a sigla não ajudaria Paulo Sidnei, o deputado soltou a seguinte frase “mas vai ter a caneta na mão”.

Outro que nas rodas de jornalistas fazia questão de lembrar o nome de Sidnei, foi o deputado federal, Laurez Moreira (PSB). Moreira tem defendido abertamente o nome de Paulo Sidnei, inclusive com a participação do PT na aliança. Segundo ele o vice-governador tem uma capacidade muito grande de aglutinar forças.

Sobre a incompatibilidade do PT com o DEM, ele disse que na hora da sobrevivência todos são “animais políticos e o DEM não vai querer ficar sozinho”. Moreira ainda afirmou que Raul Filho não teria no momento sustentação no estado para uma candidatura ao governo, porque sua liderança ainda está localizada e lembrou também que Raul deve apoiar Sidnei porque teria assumido este compromisso.

 

Umberto Salvador Coelho