Polí­tica

Foto: Koró Rocha Para Iderval, João Leite quer apenas aparecer e sair do ostracismo político Para Iderval, João Leite quer apenas aparecer e sair do ostracismo político

As críticas ao deputado federal e Presidente Regional do PMDB, Osvaldo Reis, feitas em um site local, pelo peemedebista João Leite, que já foi Secretário da Indústria e Comércio do governo Moisés Avelino (PMDB) e também já presidiu o PMDB, foram rebatidas nesta quarta-feira, 04, pelo deputado estadual e Tesoureiro da Executiva Estadual do PMDB, Iderval Silva.

Leite afirmou na matéria que Reis está “inerte” e não está comandando o partido devidamente. Ele ainda afirmou que o PMDB tocantinense está “morto” e que Reis foi eleito para a presidência do partido e foi embora para Brasília.

Segundo Iderval a informação que João Leite está passando é “completamente sem noção. Eu acho que ele é que não está funcionando, porque o PMDB esta funcionando, tanto é que fizemos a maioria dos prefeitos, maioria dos vereadores no Estado, tivemos um crescimento muito grande”.

Iderval disse que João leite está sendo muito injusto, porque há pouco tempo ele era o homem de confiança que o deputado Reis mais confiava, “inclusive, o Osvaldo indicou ele aqui, trabalhou muito para ele ser Secretário de Governo aqui (Secretaria de Ciência & Tecnologia do governo Marcelo Miranda), ele parece que não deu conta de desenvolver a pasta e teve que sair”.

Iderval ainda lembrou que Leite já foi presidente do partido “e o partido não foi para lugar nenhum. Eu acho que, até é imatura a pretensão dele de ser candidato. Ele já provou que não dá conta de dirigir o partido. E também ele está sendo injusto falando que o Osvaldo sumiu da presidência. O Osvaldo sempre está aqui no Tocantins reunindo o partido, sempre está em contato com os prefeitos, o João Leite é que está desatualizado”, alfinetou.

O deputado ainda disse que a pessoa que fala que o partido está morto, “então, ele, politicamente também está, porque o partido sou eu, o PMDB, são os membros. Então quando a pessoa fala que o partido está morto ele está se dirigindo a ele. Então ele é que já está fora de circulação faz tempo, mas o partido está vivo”.

Segundo Iderval, hoje o partido possui 6 deputados estaduais, 2 deputados federais, senador e o governador do Estado, sendo o maior partido do Estado e o que mais elegeu prefeitos. “Ele (Leite) está falando isto talvez dentro da situação dele dentro do partido. Ele é uma pessoa que não participa das atividades do partido. A gente quase não vê este cidadão circulando no meio partidário, então ele não é a pessoa indicada para falar sobre o partido”, espinafrou.

A serviço de outra candidatura

Questionado se João Leite poderia estar a serviço de outra candidatura Iderval disse que não queria acreditar nisto, “porque eu acho que o papel dele fica mais baixo ainda. Se ele estiver fazendo isto, ai que ele está provando mais ainda a injustiça. Eu acho que ele não está sendo correto com esta declaração e se estiver a mando de alguém, ai ele está sendo incompetente. Eu gostaria de acreditar que não está”, disse.

Questionado sobre o fato que Moisés Avelino tem sido citado como um dos pré-candidatos à presidência do partido, Iderval disse que “o Avelino e o Osvaldo Reis, os nossos deputados federais, a conduta deles não é esta. O Avelino quando quer ele discute. Eu acho que é o João leite mesmo que está querendo aparecer, está querendo que alguém veja ele”.

Sobre 2010

O PMDB já está discutindo o processo político de 2010, segundo Iderval. Ele ainda disse que o aparecimento de João Leite é visando aparecer para as próximas eleições de 2010, mas que não pode fazer isto, querendo sair do ostracismo político denegrindo a imagem dos companheiros, "principalmente do Osvaldo Reis, que é um companheiro dele, um deputado de cinco mandatos, respeitado na região de Araguaína e do Bico (do Papagaio)". Segundo o deputado “tacar pedras nos outros não é o caminho”.

Eleição da Executiva

Sobre a informação de que o deputado Osvaldo Reis em matéria publicada pelo Conexão Tocantins (veja aqui), afirmou que já estaria tudo acertado com o governador Marcelo Miranda (PMDB) para que a eleição da Executiva Estadual fosse mesmo realizada apenas no final de 2009, assim como definiu a Executiva Nacional, Iderval Silva disse ele não conversou ainda com Reis.

Segundo ele, neste começo de ano estava viajando. “Eu sei que ele teve uma audiência com o governo, eu não sei o que foi definido. Eu acho que o partido vai saber absorver isto aí, se tiver eleição em março, como também se não tiver, porque o partido está trabalhando. Iderval disse que ainda em fevereiro o partido deve se reunir com toda a executiva e esclarecer estes fatos.

 

Umberto Salvador Coelho