Geral

Foto: Divulgação

A Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo - Coetrae se reuniu durante toda a tarde de ontem, quinta-feira, 12, no auditório da Secretaria da Cidadania e Justiça, em Palmas. Na pauta da reunião constou algumas ações que serão desenvolvidas pela Comissão em 2009 com objetivo de erradicar o Trabalho Escravo no Tocantins.

Foram definidas as seguintes ações: buscar com a Defensoria Pública a criação de um núcleo de defesa agrária na região do Bico do Papagaio; fazer uma campanha de divulgação nas rádios do Estado; definir as responsabilidades dos parceiros para o desenvolvimento das atividades da Semana da Abolição, que acontecerá em maio e a idealização de um concurso com o tema “Trabalho Escravo”, direcionado às escolas rurais e urbanas dos municípios onde há maior incidência do trabalho escravo.

A idéia da criação do núcleo de defesa agrária surgiu com a intenção de agilizar a regularização fundiária. De acordo com a subsecretária da Cidadania e Justiça e presidente da Coetrae, Dulce Furlan, as ações da comissão devem abranger cerca de 10 municípios do Estado. A atuação vai acontecer em conjunto com o Balcão da Cidadania, o qual vai trabalhar em prol da erradicação do subregistro no Tocantins.

Participaram da reunião representantes do Ministério Público Federal, Seduc, Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Social, CPT – Comissão Pastoral da Terra e APA/TO - Alternativa para Pequena Agricultura.

A próxima reunião será realizada no dia 24 de março, no auditório da Seciju.

 

Da redação com informações Secom