Estado

A bancada Sindical da Mesa de Negociação Permanente do SUS no Tocantins, formada pelo Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Estado do Tocantins (Seet), Sindicato dos Cirurgiões Dentistas do Estado do Tocantins (Sidiceto), Sindicato dos Médicos do Tocantins, (Simed), Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins (Sindifato), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Tocantins (Sintras) e Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais (Sisepe) está finalizando uma série de reivindicações para melhorar o Plano de Cargos Carreiras de Subsídios (PCCS) da Saúde do Tocantins.

Os sindicatos estão se reunindo há alguns meses para alinhar uma fala quanto às medidas a serem adotadas nas negociações junto à bancada do Governo na Mesa de Negociação. Para o presidente do Sindifato, Renato Melo, os sindicatos têm praticamente as mesmas demandas no que diz respeito as relações de trabalho com o governo. “Nossas demandas são praticamente as mesmas, porque não unirmos forças e deliberar ações em bloco, fica bom para todos e só quem ganha com isso são os nossos representados”, afirmou.

Entre as demandas dos trabalhadores estão o pagamento de adicionais como insalubridade e horas extras, a junção de vários grupos de níveis de escolaridades diferentes, em apenas três grupos de acordo com o nível de escolaridade na aprovação do concurso. Os sindicatos estão confiantes que suas reivindicações serão pelo menos debatidas e argumentadas junto às secretarias participantes da Mesa de Negociação.

Mesa de Negociação

Iniciadas no ano de 2005 nos estados da Bahia, Pernambuco, Alagoas e Ceará, as mesas de negociações permanentes podem ser de âmbito estadual ou municipal. Suas decisões não são imutáveis, vez que as negociações são de caráter permanente. No Tocantins, a mesa será coordenada pelos representantes das diversas secretarias de Estado envolvidas no processo.

Para a Secretária Executiva da Mesa, Eliana Pontes, isso significa que o governo está tendo um compromisso com os seus trabalhadores e que os resultados geralmente são satisfatórios. “Todas as decisões são obtidas através do consenso dos membros da mesa. Temos sim dificuldades em promover a discussão em algumas localidades, entretanto, temos obtido várias experiências exitosas”, afirmou Eliana, esclarecendo o mecanismo de tomada de decisões das Mesas.

(Maria Inez Freitas Oliveira)

 

Por: Maria Inez Freitas Oliveira

Tags: Eliana Pontes, Estado, Renato Melo, Sidiceto, Simed, Sindifato, Sintras, Sisepe