Polí­tica

Foto: Divulgação Pesquisa de gabinete baliza proposta do vereador Damaso (D) Pesquisa de gabinete baliza proposta do vereador Damaso (D)

A discussão em torno do projeto que pretende a mudança do nome da Avenida Teotônio Segurado para Governador Siqueira Campos, enviado pelo prefeito Raul Filho (PT) à Câmara Municipal continua rendendo polêmica. Desta vez o vereador Damaso (PDT) propôs durante pronunciamento na Câmara, na manhã desta terça-feira, 14, emenda para que o nome alterado seja o da Avenida JK.

Segundo Damaso, não se pode ignorar a sabedoria popular. Ele citou pesquisa realizada por seu gabinete com 490 pessoas da região central e sul de Palmas. Por esta razão ele propõe a emenda que deve ser apresentada nas Comissões para análise até a próxima quinta feira.

"Juscelino Kubitscheck não teve atuação direta na criação do estado, ao contrário de Teotônio Segurado, que foi quem iniciou a luta, e de Siqueira Campos, que concretizou a criação do Tocantins. Por isto proponho que a principal avenida da cidade permaneça com o nome de Teotônio Segurado, e que a segunda principal, que é a JK passe a chamar-se Governador José Wilson Siqueira Campos", defende Damaso.

Resultado da Pesquisa

Segundo a assessoria do vereador Damaso foram pesquisadas 490 pessoas nas regiões centro e sul de Palmas, das quais 64,81% são contra alterar o nome da Avenida Teotônio Segurado, embora 74,82% acreditem que o ex-governador Siqueira Campos deva ser homenageado.

Críticas

Um dos críticos ferrenhos à homenagem ao ex-governador é o vereador Bismarque do Movimento (PT). O petista disse durante pronunciamento na tribuna da Câmara nesta terça-feira que é contra, principalmente, porque o projeto irá trazer gastos com mudanças de placa e endereçamento em cartório.

Segundo Bismarque, o projeto vai privilegiar alguém que não foi “muito honesto” com Palmas. Ele citou o fato do governador ter vendido 5.000 mil lotes para a empresa Enza por apenas 1 real. Por outro lado o vereador afirmou que durante a luta pela moradia no Estado muitos militantes foram perseguidos. “Muitos militantes que ousaram ocupar áreas foram perseguidos e torturados”, disse, completando que tem isto gravado, sem, contudo, explicitar o que está gravado.

Bismarque ainda afirmou na sessão desta terça-feira que o prefeito disse para ele votar da forma como quiser, “ o prefeito falou para mim que se eu quiser votar eu voto, se eu não quiser não voto, porque ele é um homem democrático”, disse.

(Umberto Salvador Coelho)