Estado

O encontro entre a Unitins, MEC – Ministério da Educação, MPF - Ministério Público Federal, na tarde desta terça-feira, 12, na sede do Ministério, em Brasília, garantiu que os alunos do Ensino a Distância da Unitins continuem os estudos na instituição até que o Ministério Público Federal examine a documentação sobre o assunto.

De acordo com a reitora da Unitins, Jucylene Borba, o MEC manifestou a preocupação em manter os alunos até a conclusão do curso, mas a decisão final dependerá também do MPF. A atual procuradora da República, Ludmila Ribeiro, que assumiu recentemente a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do MPF, ouviu as colocações dos presentes e solicitou alguns dados sobre o caso para que se possa tomar uma decisão.

Enquanto isso, os alunos continuam a estudar normalmente. “Os alunos devem permanecer frequentando as aulas, nenhuma mudança ocorrerá até a finalização das decisões, teremos que aguardar as discussões que estão sendo realizadas. O que orientamos a todos os estudantes é que se tranquilizem. Todos os organismos envolvidos, governo do Estado, Unitins, MEC e MPF, estão preocupados com a qualidade de ensino e a conclusão desses cursos”, tranquilizou a reitora.

Quanto à decisão da Justiça Federal em suspender o TAC – Termo de Ajuste de Conduta - assinado entre MEC, Unitins e MPF, veiculado pela imprensa local, a Unitins e MPF afirmaram que ainda não foram informados oficialmente.

O presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte, senador Flávio Arns (PT/PR), e o secretário de Ensino a Distância do MEC, Carlos Bielshowsky, participaram das discussões.

Fonte: Secom