Geral

Foto: Lenito Abreu

A Adapec – Agência de Defesa Agropecuária – alerta os produtores rurais do Tocantins quanto ao prazo para a comprovação da vacinação contra febre aftosa realizada nos bovídeos (bovinos e bubalinos). Todos os pecuaristas depois de imunizar seu rebanho tem um prazo de 10 dias para confirmar a vacinação, ou seja, para quem adquiriu as vacinas no último dia da campanha, 30 de maio, o prazo de comprovação finda no dia 10 de junho. Passado esse prazo, os técnicos da Adapec irão às propriedades inadimplentes para cobrar a regularização da situação.

A médica veterinária e diretora de Defesa Animal da Adapec, Márcia Helena da Fonseca, esclarece que quem deixar de ratificar a imunização terá a ficha cadastral bloqueada na Adapec, ficará impedido de transportar seus animais e receberá multa de R$ 127,69 por propriedade. “Para confirmar a vacinação, o produtor deve se dirigir ao escritório da Adapec onde sua propriedade é cadastrada, munido de nota fiscal de compra da vacina e carta aviso dos animais”, diz.

Já para quem deixou de vacinar os animais no prazo da primeira etapa da campanha de 2009, que iniciou no dia 1º de maio e terminou no dia 30 do mesmo mês, a ficha também é bloqueada e o trânsito de animais proibido. Para regularizar sua situação, o produtor deve ir no escritório da Agência e pagar multa de R$ 5,32 por cabeça de animal não vacinado. Diante disso, os técnicos emitirão uma autorização de compra da vacina para que o produtor posso adquiri-la nas lojas agropecuárias. A imunização dos animais deve ser realizada ainda na presença de fiscais da Adapec. A data é marcada junto com a emissão da autorização de compra.

O presidente da Adapec, Humberto Camêlo, explica que a intenção não é multar os produtores e somente cumprir a determinação federal. “O objetivo é resguardar a sanidade do rebanho tocantinense que está há 12 anos sem registro da febre aftosa, doença que causa prejuízos incalculáveis para todos, produtos, estados e País”, diz o presidente, acrescentando que espera contar com a colaboração de todos os pecuaristas.

Fonte: Ascom Adapec