Geral

Foto: Cb Filho

 A Polícia Militar, por intermédio da ROTAM – Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas e o serviço de Inteligência do 6º Batalhão prendeu na madrugada deste sábado, 13, sete pessoas envolvidas no furto, venda e receptação de computadores, pertencentes à Secretaria Estadual da Educação. O furto ocorreu na noite do último dia 30 de maio, no local onde funciona o almoxarifado da Secretaria Estadual de Educação, no antigo Colégio Tiradentes, na Quadra 804 Sul, em Palmas.

A prisão aconteceu na região de Taquaralto, após investigações realizadas pela equipe da Rotam e Diagonal do 6º BPM. Os envolvidos são: J.L.da Silva, M.V.Ferreira, J. S..de Souza, N.S.Silva, R.M.de Souza, V.J.Sousa e M.R.de Andrade

Com o grupo foram apreendidos 13 monitores, 14 CPUs, 3 teclados, 7 teclados, 2 estabilizadores, 2 nobreaks e 3 mouses. Os computadores estavam distribuídos da seguinte forma: cinco com J.L.da Silva, um com N.S.Santo, dois com M.V.Ferreira, um com J. S.F. de Souza e quatro com o servidor do Case, E.S.Pires

Além dos computadores foi apreendido um revólver calibre 38, com 4 munições intactas, que estava guardado na casa de Murilo de Andrade. Outros objetos apreendidos foram uma mala vermelha de rodinhas, uma mala de lona vermelha, uma rede, uma toalha e uma camiseta de malha preta.

De acordo as investigações da equipe da Diagonal da PM, o roubo foi forjado pelo vigia da escola José Solon, pelo filho dele, Robson e o comparsa Jorge. Os três furtaram os computadores, depois o vigia tomou remédio para se dopar, em seguida o filho dele e o comparsa amarraram-lhes pés e mãos para simular o assalto. Ao amanhecer o vigia foi encontrado por moradores, que o socorreram e o conduziram ao Hospital Geral de Palmas, como vítima de assalto.

Todos foram autuados no 1º Distrito Policial por furto e receptação, mas devem responder pelos crimes em liberdade, por não te sido configurada a prisão em flagrante delito. M.R.de Andrade, que guardava a arma dentro de casa pagou fiança no valor de R$ 300,00. Ele e J. L. da Silva estão na condicional por já terem passagem pela polícia. O caso agora foi encaminhado à Delegacia do Patrimônio.

Fonte: Polícia Militar